segunda-feira, 15 de maio de 2017

Stephanie Laurens - Salva por um Cavalheiro (As Irmãs Cynster #2)



Ficha técnica: Salva por um Cavalheiro (In Persuit of Eliza Cynster)
Autora: Stephanie Laurens
Editora Harper Collins Brasil
Lançamento original: 2011
Lançamento BR: 2017
352 páginas
Prólogo+19 capítulos+Epílogo
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick Lit

Protagonistas: Elizabeth Marguerite Cynster - Eliza - e Jeremy Carling
Local/ano: Edimburgo; Londres; Jedburgh/1829

"Londres, 1829.
Impetuosamente sequestrada do baile de noivado de sua irmã Heather Cynster com o Visconde Breckenridge, Eliza desperta em um coche estranho a caminho de Edimburgo… Após passar 3 dias e 3 noites sedada, ela fará de tudo para escapar — nem que precise fingir estar desacordada para enganar seus algozes ao longo do percurso. 

Enquanto percorre os prados escoceses pensando em pergaminhos a serem decifrados e em uma esposa com quem possa compartilhar a vida, o erudito Jeremy Carling é pego de surpresa ao ver uma mulher gritando desesperada de dentro de um coche. Parecia alguma conhecida… Alguém a quem fora apresentado em um salão londrino… Mais precisamente… Eliza Cynster!

Apesar de não ser nenhum herói, e sim um especialista em hieróglifos de grande prestígio, seu código de cavalheiro jamais permitiria ignorar uma dama aflita! Mas o perigo os espreita sorrateiramente na forma de um lorde misterioso que insiste em se apoderar de uma das irmãs Cynster. 
Um confronto à beira do penhasco colocaria um ponto final aos ardis do vilão oculto? Ou seria o momento certo para Eliza e Jeremy ousarem assumir um amor que nasceu em meio a tantos percalços? "




Continuação da série > Livro #1 > Resenha aqui

Na casa do Duque e Duquesa de St. Yves, acontecia o baile de noivado de Heather Cynster e Visconde Breckenridge.
Depois de toda aquela confusão em que Heather havia sido sequestrada e levada para Gretna Green, mas acabou sendo salva por Timothy, um velho amigo dos homens Cynster, o casal acabou se apaixonando e estavam de casamento marcado. Heather havia encontrado o seu príncipe encantado.

As suas outras duas irmãs, Eliza e Angelica, também queriam encontrar os seus, mas os seus primos e irmãos, Gabriel e Lucifer, não deixavam com que elas ficassem a sós com qualquer um. 
Isso era explicado porque depois que Heather contou tudo que sabia sobre o seu sequestro - e não era muita coisa -, todos ficaram em guarda, afinal, o sequestrador queria "qualquer" irmã Cynster. O perigo ainda rondava a família. Se fosse necessário, elas eram arrastadas pelo cotovelo.

Eliza usava o colar dado por Catriona, a Senhora do Vale, a Heather quando esta esteve por um tempo na Escócia, após fugir de seu captor e antes que sua situação emocional com Timothy fosse resolvida.
Segundo Catriona, esse colar deveria passar de uma irmã para a outra, assim como para suas primas Henrietta e Maria, e só depois disso, ele voltaria a pertencer à filha de Catriona e Scandal.

Mas como ela conseguiria "ajudar" ao colar a encontrar o seu par se ela nunca saía sozinha?
É quando, ainda no baile, ela recebe um bilhete através de um lacaio, de um "admirador" que estava na festa, e pelos detalhes que ele dava sobre a casa, Eliza logo viu que era alguém acostumado a frequentá-la, por isso, seria de confiança.
Ao ir encontrar com seu admirador, Eliza acaba sendo sequestrada e, desta vez, diferente de Heather, ela foi dopada com éter.

McKinsey ainda estava atrás de uma mulher da família Cynster, segundo a exigência de sua mãe.
Aqui, ficamos sabendo um pouco mais do porquê ele precisava acatar a chantagem que sua mãe fazia. Ele era um Laird das Terras Altas e tinha muitas famílias à sua dependência. Sem levar uma Cynster - e o prazo estava chegando ao fim -, McKinsey perderia mais do que suas terras.

Para conseguir a segunda irmã Cynster, de 24 anos, ele contratou Mr. Victor Scrope. Este transitava tranquilamente entre a Alta Sociedade e conhecia os Cynster. Graças ao baile de noivado que se aproximava, o plano foi bem montado e o sequestro bem sucedido.

A viagem dela até o seu captor teve as mesmas características, uma protegida sendo levada ao seu tutor, e uma enfermeira, Genevieve, também foi arranjada para ser dama de companhia.

Scrope era mais esperto do que os sequestradores contratados por McKinsey na vez anterior, e ele também era conhecido por jamais ter deixado de cumprir o que fora combinado.
Todos sabiam o quanto as Cynster estavam sob vigilância. Se ele conseguisse ser o autor do sequestro de Eliza, no submundo ele ficaria famoso e seu preço subiria.

De fato, ele consegue sequestrá-la, mas... (e sempre há um "mas" no meio do caminho), num dos momentos em que Eliza não estava desmaiada, ela conseguiu sinalizar para uma outra carruagem que passava ao contrário da dela e seu ocupante a reconheceu.

Jeremy Carling não era um homem que gostasse de frequentar as altas rodas, mas ele conhecia muitas pessoas de títulos, inclusive os Cynster.
Ele era um erudito, especialista em hieróglifos desde a tenra idade, quando ele e sua irmã ficaram orfãos e foram viver com um tio erudito e solteirão, Sir Humphrey Carling.
Agora, sua irmã, Leonora, já havia casado. E em sua última visita aos Wolverstone, a esposa deste, Minerva, havia convencido Jeremy de que já estava na hora de ele arrumar uma família própria.
Muitas mulheres haviam tentado enredá-lo em seus encantos, dada à sua fama de erudito e recluso; um desafio para elas.

Quando Jeremy reconheceu Eliza naquela carruagem, ele decide segui-los e ver onde iriam parar.
Os Wolverstone haviam comentado com ele sobre o sequestro de Heather e que as Cynster ainda corriam perigo.

A partir daí, começa a aventura do casal. Primeiro, Jeremy precisava ajudar Eliza a fugir de seu captor, o que não foi fácil porque Scrope não iria deixar que ela fugisse com facilidade; seu nome estava em jogo. Depois, teria de levá-la até a fronteira, na casa de amigos em comum para que ela fosse entregue aos seus familiares.

Quando eles finalmente chegam lá, começa uma outra situação: a questão de que ambos tinham passado dias sem fim juntos e sozinhos, o que a colocava numa situação delicada, tendo de casar com ele.
Os dois já estavam envolvidos emocionalmente, mas as famílias de ambos não pareciam ver isso, sempre mencionando que Heather e Timothy se casariam por amor, enquanto Eliza, pobrezinha, iria ter um casamento discreto apenas para tapar as línguas ferinas.

Jeremy não sabia como ser romântico.
Eliza era considerada, entre as mulheres Cynster, como a mais diferente, já que ela não era dada a aventuras ou sequer era boa amazona (qualidade existente em todas as mulheres Cynster).
Como eles iriam ficar juntos quando nenhum dos dois tinha qualquer traquejo para chegar ao seu "felizes para sempre"?

  
O diferencial deste romance se refere aos próprios protagonistas. Ele não era um sedutor ou canalha, como estamos acostumadas a ler nessas histórias. Ele era um erudito, que preferia mil vezes ficar com o nariz enfiado em livros antigos do que estar num baile. Todas as vezes que ele esteve presente em algum local festivo com uma certa multidão foi ou porque era de alguém da família ou por trabalho.

Em seu plano de salvar Eliza, Jeremy acabou contando com a ajuda de amigos atores. Nada de cenas com socos ou capa e espada.

Eliza, por sua vez, era uma Cynster totalmente fora dos padrões.
Ela não era dada a cavalgar ou mesmo a ficar horas a fio ao ar livre. Ela preferia ficar dentro de casa, bordando, costurando, lendo.

Quando ela se viu sequestrada, apesar de lembrar com detalhes o que sua irmã Heather havia contado, ela só conseguia pensar que aquela era uma aventura muito mais para a irmã caçula Angelica do que para ela. Mas ela teria de lidar com as situações novas.

Jeremy havia conseguido uma montaria para cada um para fugirem, mas a partir do momento que ela admitiu que não era boa amazona, ele teve de arranjar uma carroça, e isso atrasou os planos deles em alguns dias.

Entretanto, apesar de eles serem tão fracos para esse tipo de aventura, acabaram por serem perfeitos um para o outro.

Mas, o mais interessante é o algoz. Não  Scrope, mas o mandante, o tal laird McKinsey.
Mesmo começando a entender os motivos de ele querer sequestrar uma Cynster, você acaba gostando do cara... Acredita nisso?

Sim, ele começa toda a confusão por conta de um sequestro, mas quando ele vê que as mulheres encontram os seus verdadeiros parceiros, ele faz de tudo para que o casal fique junto; ele até mesmo zela por eles.
E eu, na minha curiosidade infinita sobre esse homem, fui futucar e acabei descobrindo que o livro da próxima irmã Cynster, Angelica, ela faz par com ninguém menos que ele mesmo!!

Ok, esse livro eu quero para ontem, porque preciso descobrir como ele vai dar a volta na mãe manipuladora dele, não perder suas terras e ainda se safar com o resto da família Cynster, afinal, ele sequestrou as outras duas; e com certeza Devil, o duque e cabeça da família, não vai deixar isso barato.

Este livro aqui também se passa boa parte dele ao longo da fuga do casal, assim como o anterior, mas como eu disse, por conta de McKinsey, a história fica mais interessante.
Dessa vez não teve cabeça batendo na mesa...

Sem cliffhanger, mas deixando gancho para o próximo livro.
A capa é linda, mas um detalhe: a irmã Cynster ruiva é a próxima, do livro #3, não esta.

4 estrelas

Gravura: Aleta Rafton

Nenhum comentário:

Postar um comentário