quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Anna Zaires - Twist Me (Twist Me #1)



Ficha técnica: Twist Me
Autora: Anna Zaires
Editora Mozaika Publications
Lançamento original: fevereiro/2014
Lançamento BR: ainda não
313 páginas


"Sequestrada. Levada para uma ilha deserta. 

Nunca pensei que isso poderia acontecer comigo. Eu nunca imaginei que um encontro casual na véspera do meu aniversário de dezoito anos pudesse mudar a minha vida de forma tão completa. 

Agora eu pertenço a ele. A Julian. A um homem que é tão cruel quanto  é bonito - um homem cujo toque faz-me queimar. Um homem cuja ternura é mais devastadora do que sua crueldade. 

Meu captor é um enigma. Eu não sei quem ele é ou por que ele me levou. Há uma escuridão dentro dele - uma escuridão que me assusta ao mesmo tempo que me atrai.

Meu nome é Nora Leston, e esta é a minha história."


AVISO: Este não é um romance tradicional. Ele contém assuntos polêmicos, incluindo temas de consentimento questionável e Síndrome de Estocolmo, bem como conteúdo sexual gráfico. Esta é uma obra de ficção destinada a maiores de 18 anos, público adulto somente. A autora não apóia nem tolera esse tipo de comportamento.

ROMANCE CONTEMPORÂNEO-DARK. INÉDITO. TEMA ADULTO.



Um grito de liberdade para desestressar porque o babado é forte!!!

Jovem prestes a completar dezoito anos, com uma vida normal de uma adolescente próxima a se formar no Ensino Médio, com uma melhor amiga, Leah, que a leva para aprontar pequenas coisas por aí.
Nora é filha única e não é do tipo doidivanas. Bom, se você não contar que ela tem uma identidade falsa para poder beber por aí com sua amiga, ela não é de participar de orgias, não fuma, não se droga, teve um ou outro namorado, mas nunca teve uma relação sexual plena. Não é santa, mas também não do tipo que apronta.

Os planos para o futuro já estavam traçados, até sua entrada na faculdade. Nada muito elaborado. Seus pais lhe davam uma certa segurança, mas não eram ricos. Ela sequer ainda tinha o próprio carro.

Ela tinha uma paixãozinha secreta por um dos jogadores de futebol da escola, Jake. Mas qual menina não tinha? Mas o tipo dele parecia ser totalmente diferente de como Nora era, toda baixinha, cabelos negros longos, uma aparência mais de latina.

Querendo comemorar o aniversário da amiga já uma semana antes, Leah convence Nora a irem numa balada. Nora aceita e acabam indo num lugar novo; um que ainda não conhecesse a  ID falsa das duas. Elas bebem, dançam, se divertem, e quando Nora saía do banheiro ela O viu. Todo alto, forte, cabelos escuros e aparência de predador, mas tremendamente lindo, como um modelo dessas revistas de moda.

Ele disse que se chamava Julian (e que voz era aquela? Nada de garotinho; homem dos pés à cabeça) e ali eles se despediram.

Alguns dias se passam e chega a formatura. Lindo dia de junho e tudo corria bem até o momento em que Nora ia descer do palco, após pegar seu diploma, e ela o viu na plateia. Será que algum parente dele estava se formando na mesma turma que ela?
Mas o mais importante seria logo mais. Jake estava oferecendo uma festa na casa dele e ela finalmente tomaria coragem para falar com ele. E não é que dá certo? Conversam, trocam afinidades e marcam um cinema para o dia seguinte.

Um jantar, um cineminha, um passeio no parque e rola o primeiro beijo.
E tudo fica escuro...

"Eu sou seu dono!"

Oh oh. Alguém não gostou nadinha daquela cena romântica.
E fácil assim, Nora acordou num quarto desconhecido, numa ilha no Oceano Pacífico e descobre que aquele lindo homem que ela viu apenas duas vezes a reinvindicava para si.

Julian Esguerra andava por baixo do radar - e há uma razão para isso. Ele era perigoso em mais de um aspecto. Sua vida era envolvida numa série de acontecimentos arrepiantes. E o fato de ele ter escolhido Nora havia uma razão de ser.

A ilha em que eles se encontravam não existia no mapa. A única pessoa, além de Julian, era uma mulher que cuidava das necessidades de Nora, Beth. Após poucos dias, foi permitido que ela saísse do quarto e, depois, que andasse pela ilha sozinha. Não havia como escapar.

O tempo passa e surge uma oportunidade de fuga. Nora tem uma crise e é levada fora da ilha a uma clínica nas Filipinas, onde ela sofre uma cirurgia de retirada do apêndice. Seu quarto é muito bem guardado pelos guarda-costas de Julian, mas seus inimigos descobrem que ela agora é o ponto fraco dele e invadem o local, matando os homens dele e a levando. No final, quando ele aparece para resgatá-la, tudo vai pelos ares, e ela acaba sendo salva por nativos. Ao acordar, ela se vê frente a frente com homens do FBI, dizendo que seus pais estão vindo buscá-la e cheios de perguntas.
A mais estranha era: por que o FBI nunca tinha ouvido falar em Julian Esguerra? 



Já pela sinopse dá para notar que o assunto é forte. Rapto, sexo contra vontade, uma pitada de sadismo, tráfico de armas, Síndrome de Estocolmo. É muita coisa para lidar.
À primeira mão fiquei curiosa com o livro, e confesso que as primeiras páginas me deixaram desconfortável. Não, ainda não tinha acontecido nada pesado, mas o tema em si não é fácil. 
Depois de algum tempo, a curiosidade falou mais alto que o desconforto, e ainda sem saber se eu gostaria ou não de onde tudo isso me levaria, decidi que iria até o fim.

Nora é uma protagonista interessante. Definitvamente ela não é chata. Ela luta com todas as armas que tem para se libertar de seu cativeiro e de seu algoz. Somente quando ela vê que não há saída, a título de manter a sanidade, ela muda de atitude.

O tempo que passam juntos é longo, chega a comemorar o próximo aniversário dela.
Ela fica sabendo que ele contactou os pais dela para avisar que ela estava viva e bem,mas ela não sabe dos detalhes do que ele disse.

Aos poucos, conforme a relação deles se estreita, Nora fica sabendo detalhes da vida dele, no que ele está envolvido para ter tanto dinheiro, por que ele a levou para aquela ilha e por que ela.

Nesse ponto, eu, como leitora, fiquei dividida. Era Julian um bandido no pleno uso da palavra ou uma vítima da única vida que conheceu desde criança? Uma violência justifica a outra?

"Isso te modifica"



Sendo bem sincera, com toda a polêmica envolvendo o assunto, o livro me pegou.
Como é uma trilogia, com o mesmo casal, o livro não termina. Mas já era de se esperar. O assunto ainda tem muita coisa para acontecer para ficar limitado num único volume.

O ritmo é muito bom.
Os personagens são complexos, beirando à realidade. Impossível ficar indiferente.
Ponto negativo: mal ou bem, tem um cliffhanger, o que já me deixa ansiosa. O livro tem um tema ousado e pesado. Não deve ser lido por pessoas sensíveis demais quanto a um dos temas citados. 
Ponto positivo: toda a dinâmica psicológica. Você se pega pensando de que lado ficar. Por mais envolvente que o personagem Julian seja, ainda houve um sequestro, ainda houve um primeiro ato sexual sem o consentimento da vítima. Tem como perdoá-lo disso? Estaria Nora sofrendo da famosa Síndrome de Estocolmo (quando a vítima se apaixona por seu captor e perdoa todos os seus "pecados"?). Dá muito o que pensar...

De qualquer forma, achei que a história foi bem direcionada,e , por isso, dou 5 estrelas.
O caso aqui não é se é o certo ou errado, mas até que ponto a história convence.

A história conta com mais 2 livros: Keep Me (Lançado ontem) e Hold Me (2015).


Sobre a autora


Facebook  |  Goodreads  |  Website  |  Twitter

4 comentários:

  1. Boa tarde!

    Como faço para baixar? podes me enviar por email?

    obrigada! =)

    ResponderExcluir
  2. onde encontro em portugues para baixar?

    ResponderExcluir
  3. Adorei a sua crítica porque você não ficou julgando os acontecimentos. Foi bem isenta e julgou mais pela escrita, construção dos personagens e se a história é convincente. Nota mil para você!!

    ResponderExcluir