sábado, 6 de setembro de 2014

L. A. Casey - Dominic (Slater Brothers #1)



Ficha técnica: Dominic
Autora: L. A. Casey
Editora self
Lançamento original: março/2014
Lançamento BR: ainda não
337 páginas

"Depois que um acidente de carro matou seus pais, quando ela era uma criança, Bronagh Murphy escolheu fechar-se em si mesma em um esforço para não se magoar. Se ela não se aproximar de pessoas, falar com elas ou reconhecê-las de qualquer forma, elas a deixam sozinha como ela quer. 

Quando Dominic Slater entra em sua vida, ignorá-lo é tudo o que ela tem que fazer para chamar sua atenção. Dominic está acostumado a chamar atenção e, quando ele e os irmãos se mudam para Dublin, Irlanda, para os negócios da família, chamar atenção é o fazem de melhor. Atenção de todos, exceto a bela morena com uma língua afiada. 

Dominic quer Bronagh  e a única maneira de tê-la é fazê-la sair de sua concha protetora da única maneira que ele conhece - pela força. 

Dominic a quer, e o que Dominic quer, Dominic pega."



ROMANCE CONTEMPORÂNEO. CHICK LIT. NEW ADULT, TEMA ADULTO.

Bronigh Jane Murphy vive numa concha por escolha própria. Quando criança, seus pais morreram num acidente de carro e ela só não foi para um lar adotivo porque sua irmã lutou por ela. Agora sua vida se resume entre ela e Branna. Ir à escola é seu único compromisso, enquanto Branna termina sua faculdade de medicina.
Ela está prestes a completar 18 anos e não tem amigos ou namorado. Na sala de aula ela prefere sempre fazer os trabalhos sozinha e também senta sozinha na carteira. 
Sua vida está boa assim. Calma, sem grandes emoções, mas também sem dores.
Até que um ianque aparece na escola...

Irlanda é o novo lar dos irmãos Slater. Vindos de NY, Estados Unidos, os negócios da família foram transferidos para aquele país.
Ryder, Alec, Kane, Dominic e Damien Slater moram em Upton, bairro dos ricos na Irlanda.
Os dois últimos, Dominic e Damien, são os caçulas e gêmeos.
Damien é louro, cabelos quase brancos, educado, camarada e de gestos calmos. Dominic é seu oposto. Moreno, sarcástico, ele não se importa em chamar atenção para si. Na verdade está mais do que acostumado com isso, porque uma coisa os irmãos Slater tinham em comum, além do sobrenome: uma baita de uma aparência dos deuses!

E para azar de Bronagh eles foram parar na turma dela e Dominic, ou Nico, como era conhecido, cismou com ela.
A princípio a implicância dele com ela era porque ela se mantinha arredia a todo mundo, mas no fundo, ele ficou impressionado por ela não suspirar por ele e pelo irmão, como as outras meninas faziam... e pelo belo e grande traseiro que ela tinha.
O que Bronagh considerava maior defeito nela, em sua aparência, era o que deixava Dominic louco.

Obviamente o início da amizade deles (eu poderia chamar aquilo de amizade?) foi um desastre. Bronagh não estava acostumada a ser o centro das atenções. Por anos ela foi mestre em ser invisível. Mas Dominic não deixava assim.
Além disso, havia uma certa barreira linguística. Quando ele tentava elogiá-la, aos ouvidos dela aquilo soava como um bullying e lá iam os dois brigar novamente.

Bronagh viu que não ia se livrar mesmo de Nico quando, numa saída com sua irmã numa noite cheia de surpresas, ela fica sabendo que Branna está namorando o mais velho dos Slater. O convivio com eles passou a ser maior, e Nico aproveitava essas chances para se aproximar mais dela e fazer valer a todos à sua volta que ela lhe pertencia.

Não deu pra fugir.

Abrir-se para um relacionamento era difícil para Bronagh. Ela passou tanto tempo fechada em si... Mas ela tentaria por sua irmã, que estava feliz apaixonada; e depois, havia Nico que mexia com ela de formas nunca antes sentidas.

Tudo poderia se desenvolver normalmente, mas daí, Bronagh descobre os "negócios da família" e que sua vida estava virada pelo avesso em maneiras nunca antes imaginadas...

"'Oh, Deus', Eu sussurrei enquanto ele
movia os lábios pelo meu pescoço. 'Não, querida, Dominic'"



Dito o resumo da coisa vamos logo às impressões.
Para começar a própria autora adverte:

ATENÇÃO: Se você não gosta de um macho líder que seja possessivo, Dominic não é para você. 
Se você não gosta de uma mulher líder que é uma p*** teimosa, Dominic não é para você. 
Se você não gosta sobre o alto drama e personagens que têm mau humor, Dominic não é para você. 
Acima de tudo, se você não gosta de personagens que xingam muito e dizem exatamente o que sentem e pensam sem cobertura de açúcar, Dominic não é realmente para você.

Entendeu? Este livro é new adult mas ultrapassa o estilo do gênero. Não digo que é pelas cenas de sexo porque para falar a verdade elas até demoram muito a aparecer, mas por conta dos outros detalhes.
A personagem principal e sua irmã são duas esquentadinhas. Elas brigam e muito. Não entre si, mas com outros. Protetora do jeito que é com a irmã, Branna não pensa duas vezes se tiver que sair no tapa com alguém.
Bronagh no início não é assim. Por manter-se fechada a outras pessoas, ela até é calma. Mas assim que Nico aparece em sua vida, parece que o pior dela aflora. E eles se agridem verbalmente à beça.
Quando as suas famílias, Murphy e Slater, começam a conviver, bomba relógio explodindo a qualquer minuto é pouco perto deles.
Por isso tudo eu digo, não é - DEFINITIVAMENTE - um livro para qualquer público.

Tem a parte alfa. Os dois, assim que começam a ter um relacionamente, mostram-se ciumentos. O estilo "ela é minha, afaste-se" aparece. 

Depois tem a questão de como o leitor se sente. E isso é muito importante. Aqui não há meio termo. Ou você ama e quer terminar a história, ou você odeia e joga seu e-reader no rio mais próximo.
E verificando outras resenhas eu comecei a rir porque foi exatamente isso que aconteceu em 99% dos casos. Este livro levou ora 4 ou 5 estrelas, ora 1. Com isso resta saber em qual dos 2 grupos você se encaixaria.

E por último, não importante para nós brasileiros, mas quando se lê o livro no original em inglês, nota-se de forma muito forte, é a questão do sotaque.
Houve, por parte de alguns leitores irlandeses - onde a história se passa - uma reclamação pela forma com que a autora, QUE É IRLANDESA,  colocou os compatriotas falando. Quase como se fosse um dialeto local. 
Exemplo disso é o pronome "my" que lá eles falam como "me", ou engolindo a letra g em algumas palavras.
Gente, sinceramente, cresçam!! No Brasil cada região fala de uma maneira diferente e nem por isso a gente sai dizendo "tá errado". E se tem quem o faça, são os chatos e, pelo visto, chatos linguísticso têm em qualquer país.



Indo à parte da história propriamente dita, encontramos dois adolescentes entrando na fase adulta, com uma carga emocional de perdas grandes.
Tanto Bronagh quanto Dominic haviam perdido seus pais. Enquanto a primeira havia sido num acidente, os de Nico foram assassinados pelo sócio do pai dele.
Os irmãos Slater estavam envolvidos em algo pesado, não por gosto, mas numa espécie de chantagem.
Depois de viver anos protegida do mundo tanto de sua parte quanto pela irmã, Bronagh a princípio não sabe se vai aguentar tamanha pressão.

Mas seria difícil se livrar de Dominic de qualquer maneira. Desde o início, quando usava a implicância para arranhar os escudo dela, ele havia deixado bem claro que não a deixaria em paz. Passou a defendê-la na escola e a elogiá-la todo o tempo. E o alvo preferido dele do corpo dela era...


Já ele, para ela, era exatamente o tipo de companhia a ser evitada. Perigoso, desafiador, lindo demais e sempre se metendo em briga. E tudo fica pior quando ela descobre que ele está metido em luta underground.



Tudo tem uma razão de ser e é bem explicado pela autora (e não vou revelar porque é essa explicação que dá todo o tom para o restante da série).

Há luta verbal, física, desafios, às vezes até um pouco infantis, mas tudo pode ser definido como quando há grandes terremotos porque a terra está se ajustando.
Bronagh e Nico precisam passar por isso. Ela precisa se abrir à vida, aos relacionamentos, a tudo à sua volta, e esta adaptação não é fácil. Já Nico está aprendendo a confiar e se apoiar em outra pessoa fora de sua família, seus irmãos. Ninguém pode passar por tantas mudanças mostrando nenhum sentimento, sem ter certos rompantes.

O ritmo é ótimo. Confesso que em alguns momentos eu já ficava triste sabendo que o livro ia chegar no fim.
Os personagens são loucos, gritam, brigam, se xingam, se amam, se apoiam. Exatamente gente como a gente.
Pontos positivos: gostei do enredo, e agora quero saber o que será do futuro dos irmãos Slater, depois do desfecho. É uma série, mas NÃO TEM CLIFFHANGER. Aleluiaaaaaaaa!!!
Ponto negativo: como disse, algumas brigas entre eles foram um tanto infantis, mas relevei essas partes pelo bem maior da história.

E lembrando que Dominic é um dos caçulas. Isso quer dizer que as histórias dos outros irmãos serão um pouco mais próximas da madureza da idade de cada um (entre 23 e 28 anos).
O próximo livro é BRONAGH (#1,5), e dá um salto em alguns anos, trazendo o 21° aniversário dela.



E se ainda tiver alguma dúvida sobre em qual time eu fiquei (das 5 estrelas ou 1)...

5 ESTRELAS!!!!

Sobre a autora


Goodreads  |  Website  |  Facebook  |  Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário