quarta-feira, 30 de abril de 2014

EVENTO: Arqueiro Romances de Época - RJ



Este mês de abril foi especial para os fãs de Romances de Época.

A Editora Arqueiro promoveu encontros desse gênero literário em mais de 20 capitais brasileiras, e no domingo, dia 27, foi a vez do Rio de Janeiro.

O encontro aconteceu na Livraria Saraiva do VillageMall, na Barra da Tijuca e contou com a presença de quase 100 pessoas.
Além disso, fomos presenteados com duas presenças importantes.
Primeira foi a editora chefe Nana Vaz de Castro, que nos trouxe algumas das ótimas novidades para já o final de 2014 e 2015: a compra dos direitos de publicação das séries Bevelstoke e Quarteto Smythe-Smith, de Julia Quinn; a série Bedwyn, de Mary Balogh; o livro "Lord of Scoundrel", de Loretta Chase. Além disso, há a possibilidade da vinda da diva Julia Quinn para uma tarde de autógrafos na bienal do RJ em 2015.



A segunda presença foi da diva acima citada que, apesar de estar numa viagem de férias à Disney, deixou um recadinho para os fãs...




O evento foi mediado pela blogueira do Alquimia dos Romances, Elimar Souza.


Tivemos apresentação dos livros já lançados, os próximos lançamentos das séries vigentes e dos lançamentos das séries recém adquiridas. Muita expectativa quanto a essas novas...





Além disso, o evento contou com sorteio de livros, marcadores, bottons e capas de pano protetoras de livros.

O resto foi encontrar velhos amigos, fazer novos, trocar marcadores de blogs e brincar muito.
Que venham outros encontros da Arqueiro!!!









segunda-feira, 28 de abril de 2014

Vicky Dreiling - What a Reckless Rogue Needs (The Sinful Scoundrels Series #2)



Ficha técnica: What a Reckless Rogue Needs
Autora: Vicky Dreiling
Editora Forever
Lançamento original: 25 de março/2014
Lançamento BR: ainda não
416 páginas

"Será que o plano perfeito do canalha... 

Colin Brockhurst, conde de Ravenshire, não tem vontade de casar nesta temporada ou em qualquer outra. Então, quando seu pai exige que ele desista de sua fase irresponsável e escolha uma esposa, Colin se recusa. Mas seu pai aumenta os riscos e ameaça  vender a casa ancestral se Colin não mudar. Agora Colin não tem escolha a não ser encontrar uma esposa. Infelizmente, a única mulher que ele quer é aquela cujo coração ele quebrou anos atrás. 

...leva à Sedução perfeita? 

Independentemente de sussurros da Sociedade, Lady Angeline Brenham não vai se contentar com nada menos do que um amor verdadeiro. Depois de rejeitar mais do que sua parcela de pretendentes adequados, a solteirice aparece diante dela, até que o diabolicamente belo Colin reaparece em sua vida com uma proposta. Angeline promete manter os pés no chão e o coração em guarda. Isto é, até que um beijo ardente derrete sua determinação e reacende um desejo por muito mais."

ROMANCE HISTÓRICO. INÉDITO.

Colin estava vivendo bem sua vidinha de solteirão garanhão, acordando sem saber onde estava ou com quem tinha dormido, mas curtindo a vida do jeito que queria; na companhia de seu amigo inseparável Harry Norcliffe. Até que uma carta de seu pai chega avisando-lhe que estava prestes a vender uma antiga propriedade da família, Sommerall; local onde a mãe de Colin fora enterrada.
Pensando esta propriedade ser parte de sua herança, Colin fica indignado e segue para a atual moradia de seu pai, Deerfield Park.

Esta era a época em que seu pai sempre oferecia uma festa - House Party -  que durava um mês e seus convidados eram o duque e a duquesa de Wycoff, e suas filhas Angeline e Penny.
Colin não visitava a sua família há algum tempo e assustou-se ao ser recepcionado por suas meias-irmãs gêmeas Bernadette e Bianca. As duas já seriam apresentadas na próxima temporada.
A visita de Colin não era por causa dos outros hóspedes ou pela festa anual em si. Ele queria convencer seu pai de que Sommerall era sua por direito.

Qual foi sua surpresa ao descobrir que a propriedade já havia recebido uma oferta e seu pai estava mais do que tentado a aceitá-la. A casa estava abandonada desde que a mãe de Colin morrera, cheia de problemas pelo abandono...O melhor mesmo seria vendê-la.

Mas Colin estava determinado do contrário, e queria mostrar a seu pai que ele era digno de ficar com o imóvel.
Para isso, ele contou com a ajuda de Angeline, que era boa em fazer reformas, e odiava fazer os trabalhos delegados a uma dama como costurar, pintar ou tocar o pianoforte.
Por algum tempo, os dois, acompanhados de outros empregados, iam até Sommerall averiguar o que seria preciso para colocar a casa como nos tempos áureos.

Angeline Brenham e Colin se conheciam desde o nascimento. Eles tinham a mesma idade - 31 anos - com diferença de uma semana. Suas respectivas famílias sempre brincavam que os dois nasceram para ficar juntos.
Acontece que na época em que Angeline foi apresentada à Sociedade, Colin fez algo que a deixou consternada e a partir dali eles se tratavam como cão e gato.
Ela aproveitou o máximo de todas as temporadas e demorou demais em arrumar um marido.
Quando esta mesma Sociedade começou a cochichar pelos cantos que ela já estava se transformando numa solteirona, um cavalheiro começou a lhe fazer a côrte. Deixando de ouvir seus instintos, e desde que seu pai o aprovara, Angeline ficou noiva dele.
Acontece que Brentmoor era tudo, menos um cavalheiro. Ele soube a hora certa de atacar sua "vítima" da vez, no caso Angeline, e envolvê-la no meio de um escândalo. Apesar de saber que sairia mal falada, Angeline ainda assim preferiu terminar o noivado, e logo depois ela e sua mãe passaram uma temporada em Paris.

Seu retorno havia sido um pouco antes dessa festa anual dos Brockhurst. Ela temia que por causa do escândalo que causara, ela atrapalharia a apresentação de sua irmã Penny. Isso sem contar que seu pai mal lhe dirigia a palavra.
Aquela seria a última festa em família que ela participaria; indo refugiar-se no campo.

Querendo ajudar Colin a recuperar a casa que por direito deveria ser dele, Angeline faz desenhos de decoração e reforma, ajuda na limpeza e passa um bom tempo na companhia dele.
Esse período torna impossível não perceber Colin com outros olhos. A beleza dele chamava atenção, é claro, mas ela notou que por baixo de sua fama de libertino, ele escondia uma alma carinhosa. E quando ela deu por si estava apaixonada por ele.

Os dois estavam no meio de um dilema. Angeline estava prestes a ser expulsa da Sociedade que participara por toda sua vida por conta de uma fofoca mentirosa de um trapaceiro. A única solução para que voltasse por cima seria o casamento com um homem de posses e respeitável. 
Já Colin fora encostado na parede por seu pai, que disse pensar na possibilidade de desistir da venda da casa se Colin desistisse de sua vida dissoluta e se casasse.
Pensou o mesmo que eu? Colin propôs a ela um casamento de conveniência. Agora, a escolha estava nas mãos de Angeline.
Mas por já se encontrar apaixonada por ele, ela queria mais do que conveniência, e isso, ele não poderia lhe dar...


Escândalos, gente sendo pressionada a fazer o que não quer, casamento de conveniência. Temas corriqueiros para uma época romantizada nos livros, mas que no dia a dia dos personagens, causam verdadeiros desastres.
Angeline fora realmente enganada por um mau caráter desde o início. E o pior, o cara enganara até mesmo o pai dela, que era um homem de conexões. Não conseguindo o intento de se casar com uma rica herdeira, ele fez questão de ainda acabar com a reputação dela.
Havia tanta coisa em jogo, tantas pessoas foram afetadas por esse noivado desastroso, que Angeline estava decidida a sumir do mapa da Sociedade para não envergonhar mais a sua família e, principalmente, causar embaraço na apresentação de sua irmã caçula.

As duas famílias já se conheciam há eras. Colin e Angeline tinham intimidade o suficiente de brincarem um com o outro, mas por conta de fatos ocorridos quando mais jovens, ainda se tratavam com uma certa distância.
Mas quando Colin precisou da ajuda dela, ela estava pronta a apoiá-lo naquela empreitada. E acaba que, ao saber do que de fato ocorrera com ela, Colin tomou-lhe as dores e decidiu defendê-la convocando as pessoas que conhecia, em especial seus dois amigos, Bell e Harry (lembra-se deles do livro #1? Resenha AQUI)

O ritmo da história é delicioso. Você passeia pelos detalhes registrados pela autora.
A conexão com os personagens foi ótima. Casal que vive se estranhando a princípio é divertidíssimo.
Pontos negativos: senti falta da interação entre os 3 amigos, que ocorreu mais vezes no livro anterior. Aff... E por favor, alguém cala a boca da Sra. Quimby????
Pontos positivos: o cuidado com que a autora descreve tudo: dos lugares às peças de roupas. O final traz algo de surpreendente. As gêmeas são fofas demais!! As cenas de interação em família também são preciosas e as cenas românticas...Hummmm...Essas são sensíveis e envolventes.
Mas minha preferida nem foi exatamente uma cena de amor, mas sim um flerte entre eles enquanto jogavam gamão:

"- Eu estou ansioso por outra visita. 
Ela piscou. - O que disse? 
Ele se inclinou para frente e sussurrou: - da famosa cortesã. 
- Ela está entretendo outros cavalheiros. - ela responde em voz baixa. 
- Eu a proíbo. Ela é minha e só minha. 
- Visitas exclusivas vão custar caro. Ela exige rubis e safiras. 
Ele olhou nos olhos dela. - Ela é linda e muito desejável. 
- Eu não posso acreditar que eu era capaz de coisas que eu disse e fiz. Eu não sei o que há de errado comigo. 
- Nada há de errado com você. É apenas fantasia. 
- Não é elegante. 
Ele se inclinou para frente e disse em voz baixa. 
- Angeline, eu nunca quis tanto uma mulher na minha vida ... "

E isso depois de terem tido a noite dos sonhos...
A capa do #3 ainda não foi liberada, mas a autora vive postando em seu facebook que sua fonte de inspiração para escrever as aventuras de Harry Norcliff é ninguém menos que Liam Hemsworth.





Tudo de maravilindo no livro e eu ainda pergunto: por que uma editora brasileira ainda não adquiriu os direitos dessa autora?

5 ESTRELAS!!

Para adquirir:  AMAZON  |  BARNES & NOBLE  | THE BOOK DEPOSITORY



*Gravura: Jon Paul Ferrara. www.jonpaulstudios.com

domingo, 27 de abril de 2014

Blog Tour: Ariadne Wayne - Taking Chances





Taking Chances - Release Blitz
By Ariadne Wayne
Contemporary Romance
Date Published: April 27, 2014

 photo add-to-goodreads-button_zpsc7b3c634.png
  
Lauren and Mark Burrows lost their parents in a car accident one night. Despite their father being the drunk driver, both struggle with the urge to turn to drink; Lauren most of all. When all they have is each other, Lauren feels lost when Mark falls in love with Cassie Warren and moves out.

Ethan Stone has been alone since his divorce. His ex-wife took him for everything, and he has felt empty for a long time. He's not looking for love, but Lauren brings him back to life. The question is whether she can fight her demons for the man she loves, and if Ethan can handle the wild ride that is life with Lauren.

EXCERPT

With Ethan’s arm around her shoulders, Lauren nestled up close, nuzzling his cheek.

“I did want to watch this, Lauren. You’ll distract me.”

“That’s the idea.”

He grinned. “I am trying not to make our relationship just about sex.”

“I know. I’m happy right here, but I’m still trying to distract you.”

Ethan laughed. “You’re so naughty.”

“Always.” She rolled her eyes. “As if I would be anything else.”

He kissed her lips softly. “Is that better?”

“Getting there.”

“If I keep kissing you, I’m not going to want to stop.” He said, in an attempt to look serious.

“That’s what I’m counting on.”

Ethan kissed her on the nose. “That’s all you’re getting until the movie is finished.”

“Spoil sport.”

She rested her head on his shoulder. Moving his hand down from her shoulder to rub her arm, he shared a smile before snuggling up again.

“I know I tease, but I do like this,” she said.

“So do I. You know, it’s been so long since I was this close to anyone. Just to have you here and in my arms is the best feeling.”

“I’m glad, Ethan. I’ve been looking forward to being here with you, even if it is only for a few days.”

“We’ll have to make the most of it. Spend every second we can together.”

He leaned back to look at her. What this beautiful woman saw in him, he didn’t know. Her long blonde hair hung in curls around her shoulders, and she had those gorgeous brown eyes that just sucked you in. The type you just want to look into forever.

She smiled, and his stomach plunged through the floor. There was so much to her that no-one else could ever know about. How anyone had never worked that out was a mystery, but Ethan saw it.

The depth of Lauren’s feeling in return was obvious. Looking at her, really looking at her, her emotions were written all over her face.

“How can no-one have claimed you before,” he said, softly.

She blushed, colour flooding her cheeks. The look on her face made his heart race at the thought she was his.

“Ethan,” she whispered.

Ariadne Wayne

Ariadne Wayne loves books and lives in Auckland, New Zealand with her husband and two children. Having always had a prolific imagination she now writes the words down instead of storing them in her head where she can't share them.

When she's not writing she works in Telecommunications, frequently banging her head on the desk with the random things that can happen to the ordinary phone line.

Author Links



Giveaway
Stirling silver bracelet & Amazon gift cards

a Rafflecopter giveaway


 photo readingaddictionbutton_zps58fd99d6.png

sábado, 26 de abril de 2014

Lucy Vargas - Quando Eu Olhar Pra Você (Ward #1)



Ficha técnica: Quando Eu Olhar Pra Você
Autora: Lucy Vargas
Editora self - "indie"
Lançamento: 03 de abril/2014
342 páginas

"Amar nunca é fácil. Mas quando você se envolve com um Ward, tudo é difícil e inexplicável demais para suportar. 
Beatrice sempre soube que devia ter deixado Sean quando ainda podia resistir. Talvez nunca devesse ter entrado nessa. E agora ele voltou. Insaciável, apaixonado e mais errado do que nunca. Disposto a tudo por ela. Será que Beatrice está pronta para perdoar e ceder à obsessão apaixonada de Sean? Quem disse que depois do casamento tudo se acalma? Nada é calmo com um Ward. E ele vai desafiá–la por sua última chance. 

Você está pronta para Sean Ward?"


ROMANCE CONTEMPORÂNEO. TEMA ADULTO. LANÇAMENTO.

Um casamento de fachada.
Nada de começar uma história na qual o casal acabou de se conhecer, se apaixona, se casa e vive feliz para sempre. Aqui, o casal, Sean e Beatrice, já está junto há pelo menos quatro anos, mas na verdade o casamento deles naufragou desde o primeiro.

Sean conheceu Beatrice quando ela ainda terminava sua faculdade. Ele era mais velho que ela e notadamente mostrava-se mais experiente na vida.
Dono de um império, Sean Ward comanda uma empresa envolvida em tudo que possa dar lucro. Sua família é destaque nas altas rodas, tudo que ele toca vira ouro, se não de imediato,  ele dá um jeito de reverter tudo em lucro. Sean Ward não tem medo de jogar.

Beatrice veio de uma família classe média. Antes de encontrar aquele que seria seu marido, ela nunca tinha ouvido falar nele; diferentemente de seu pai, que costumava ler as páginas sobre economia nos jornais.
Todos se surpreenderam ao vê-lo entrando na casa dela, para conhecer sua família, com toda a pompa e circunstância, mas, ao mesmo tempo, com uma simplicidade de encantar a todos.
Em pouco tempo ele conquistou o coração dela e tiveram uma cerimônia de casamento dos sonhos.
Pouco tempo depois do casamento, a frieza chegou...

Agora, Beatrice Ward é uma conceituada designer de interiores. O sobrenome dele ajuda muito, mas a competência dela faz com que mais e mais clientes solicitem seus serviços e sua agenda anda lotada. Tão lotada que ela e Sean mal se encontram dentro do próprio apartamento triplex que ele fez para ela.

Numa infeliz coincidência, Beatrice aparece num local em que normalmente não estaria e ela presencia algo que a faz tomar a decisão que já deveria ter tomado anos antes: ela pede o divórcio. 
A reação dele?

"– Nós vamos conversar sobre isso outro dia. Hoje eu não estou no meu juízo perfeito – ele foi andando para a porta, sabendo muito bem que não ia estar em juízo nenhum com ela aprontando daquele jeito.
– E eu vou pedir uma ordem de restrição contra você! – ela gritou de onde estava, perto da janela.
– Alegando o quê? Coito interrompido?
– Vai pro inferno! Eu não quero te ver nunca mais.
– Então nos vemos amanhã."

Então você pergunta, se eles estão distantes um do outro há tanto tempo, por que não o divórcio?
Muito simples: PORQUE ELES SE AMAM!!

Nas páginas seguintes você tem todo o apanhado do que vem acontecendo com eles: o porquê do afastamento; o que foi que fez a Bea pedir o divórcio; a tentativa dele em fazê-la mudar de ideia; a teimosia dos dois; o plano para salvar o casamento...


... e o segredo que faz Sean ser como é.
Uma das características importantes no jeito de ser dele: segurança é tudo. E isso é logo explicado: quando adolescente, Sean foi sequestrado e passou vários dias em cativeiro. Só foi libertado porque seu pai contratara pessoas para encontrá-lo, mas o terror que ele passou ao longo daqueles dias ele nunca se abriu completamente. Hoje, ele, e principalmente Bea, têm uma horda de seguranças 24h. E por conta desse acontecimento, há um certo mistério envolvendo a vida dele.

E durante o tempo em que eles tentam se dar uma nova chance, máscaras caem, segredos são revelados, novos atores entram em cena e uma atração fortíssima pode destruir o que já se encontra frágil...

Para tudo!!!

"Deixa eu listar minhas emoções"



Segura as pontas que a lista é longa!
Começando: se você é uma pessoa de emoções frágeis que só quer ver o mocinho perfeito, mesmo sendo alfa, e a mocinha que suspira pelos poros e um "felizes para sempre" logo de cara, este NÃO É o seu livro. Passa para o próximo!


TRAMA
Sean e Beatrice são um casal moderno, com problemas modernos e que tentam resolver suas questões de forma atual. Por isso, você vai encontrar situações que poderiam acontecer com muita gente hoje em dia. Choro, decepção, raiva, bate boca, tentativas, desejo, tesão, recaída, fuga, mas acima de tudo, muito amor.
No início de cada capitulo há as transcrições das mensagens que Sean envia para Beatrice. Uma mais deliciosa que a outra.
E por falar em delícias, o livro é listado como erótico. Bom, ele tem sim umas cenas para lá de sexies e uma cena de transa de dar água na boca, mas acredito que você já deve ter lido livros bem mais sacanas do que este. Portanto, eu considero o livro mais sexy do que erótico.


PERSONAGENS
Dito isso, vamos ao ponto seguinte: o livro traz um protagonista rico (sim, porque vamos combinar que de pobreza já basta a minha. E você tendo dinheiro para resolver boa parte do problema já é meio caminho andado), mas ele difere dos parâmetros atuais do mocinho-milionário-cheio-de-problemas-que-resolve-tudo-com-sexo.
Sean já está casado com Beatrice,e, como muitos casamentos de hoje em dia, as aparências contam mais. Entretanto, não é esse tipo de casamento que ele quer. E exatamente por isso quando Bea pede o divórcio ele quase surta.
Vendo o quão decidida sua esposa estava - tanto que ela até sai de casa -, ele tenta encontrar uma maneira de fazê-la dar uma nova chance a eles. E digo que a ideia dele foi bem oportuna!
A chance não seria só dele porque ao longo da leitura você percebe que ELA TAMBÉM tem sua parcela de culpa.
O ponto aqui é: quanto cada um está disposto a ceder?
Em alguns momentos você acaba achando que os dois são doidos e precisam de tratamento psiquiátrico URGENTE. Mas essa é a grande liga da história: aqui NINGUÉM é perfeito.

Enquanto o casal avança em suas negociações, os outros personagens fazem aparições fantásticas. Há a irmã mais velha de Bea, Rose, uma psicóloga especialista em terapia de casais, ela mesma vindo de um casamento fracassado; Rico, o secretário particular de Sean, que tem várias crises nervosas ao ver seu chefe tomando decisões completamente diferentes do que vem fazendo nos últimos anos; Hartie, o assessor-estagiário de Bea. Competente, debochado, engraçado, gay e fã número 1 do "chefinho". 
Da família do Sean tem a mãe, Candace, considerada "a estilosa"; a irmã Tess, durante muitos anos, a problemática da família; e o lindão e tudo-de-bom primo Jared, o melhor amigo de Sean.
Há várias cenas com cada um deles, com diálogos engraçadíssimos (Rico e Hartie são os campeões).
Sem deixar de contar os seguranças Don e Kevin - além de outros brevemente citados.
E também há os antagonistas: Dave Campanale, um outro milionário que contrata os serviços de Bea e tira a paciência de Sean por dar em cima de sua mulher, e a maior de todas as antagonistas, a vaca da Chloe.


Leia e você vai entender o porquê do apelido "carinhoso" (acredite, de todas as pessoas que já comentaram sobre o livro, o fã clube em querer meter a pregada em Chloe só faz crescer).

Adorei a capa, com aquele modelo representando bem o profundo olhar em busca da mulher que ama.
O ritmo da história é bom. Algumas passagens no tempo, mas na maioria das vezes trazendo o dia a dia do jogo entre eles.
Pontos positivos: a trama é bem amarrada. Como se trata de uma série (calma! Não serão vários livros sobre o mesmo casal. Há ainda os outros Wards), as perguntas não respondidas neste, virão no próximo. Há muitas partes engraçadas. 
O ritmo emocional ao longo do livro é bem equilibrado. Você vai da alegria à tristeza, da raiva à satisfação. De maneira alguma é um livro morno. Você pode até não gostar ou não concordar com alguns trechos, mas suas emoções estarão a pleno vapor.
E o fato de que a autora não "dourou" a personalidade/caráter dos personagens. Eles mostram suas fraquezas, suas resistências, seus erros. O ponto em questão que os leva à quase separação é uma realidade. Cabe ao leitor saber separar o que é ficção do que é realidade e julgar cada um em seu devido critério. 
Ponto negativo: por mais que eu tenha gostado do livro e também goste da autora, sejamos sinceros: precisava acabar daquele jeito, Lucy??? Pelamor.... E agora eu faço o quê???? Fico batendo pezinho? Sua malvada!!!!




Eu me senti numa verdadeira montanha russa de emoções.
Confissão: fiquei com medo de ler este livro. Lucy lançou antes deste dois romances históricos. O primeiro SEGUNDA CHANCE PARA AMAR (resenha AQUI) em maio/2013 e CARTAS DO PASSADO (resenha AQUI) poucos meses depois. Este último vem se mostrando quase um bestseller por trazer uma história romântica, com uma reviravolta temporal de arrepiar os leitores (se você ainda não leu algum deles, LEIA!!!). Quando um autor se dá bem escrevendo um gênero literário, dificilmente se supera escrevendo outro tipo - salvo algumas exceções.
Quando comecei a ler este senti completa conexão com os personagens por conta das fortes emoções impregnadas em cada página. 
Esta é uma característica forte da escrita de Lucy Vargas: a nudez psicológica dos personagens.
Por isso, foi uma grata surpresa ver que no gênero romance contemporâneo ela também dá um banho.
Você pode até não gostar do teor da história, mas você não pode dizer que a autora não sabe escrever. 

Por conta dessa forte relação com os personagens, eu posso dizer que os próximos livros serão mais do que aguardados.
E digo mais, quero mais é que alguns personagens ganhem destaque, como o primo Jared Ward, o verdadeiro "womanizer", e Tess Ward, com sua gracinha de filhinha e o suposto pai desta, um italiano tudo-de-bom. Prestem atenção nesses dois homens, meninas!!!

Para Lucy, meus parabéns por mais este sucesso que se encontra nos melhores lugares das listas de vendidos.

4,5 estrelas.

NOTA: Por enquanto o livro SÓ É ENCONTRADO na versão ebook. Talvez você seja como eu, que prefere a versão impressa. Acontece que Lucy não tem editora ainda. E para fazer a versão impressa ela precisa vender ebooks. Portanto, se você gosta do trabalho da autora, dê seu apoio. O ebook não custa muito e isso faz com que mais rápido tenhamos os personagens em mãos. NÃO APOIE A PIRATARIA.

Para adquirir:  AMAZON BR  |  SMASHWORDS  |  iBOOKS


www.lucyvargas.net

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Blog Tour: Megan Bryce - To Catch a Spinster





To Catch a Spinster - PROMO Blitz
By Megan Bryce

Historical Romance
Date Published: June 2012

 photo add-to-goodreads-button_zpsc7b3c634.png

Come back to a time when manners are everything and rules are made to never be broken. Come back to a time when men are in charge and women do what they are told...
Yeah, that never happened.
Welcome to Megan Bryce's Regencyland, where ladies with backbone get what they want. Where a woman can thumb her nose at rules and care little for convention, and yet somehow, unexpectedly and most reluctantly, find love.
To Catch A Spinster
Olivia Blakesley, self-proclaimed spinster extraordinaire, is quite happy with her life. She has her studies and her duties, what need does she have of a husband? With five sisters married she knows the reality does not live up to the promise, and does not need to personally experiment with the state to know she would be ill-suited to it. However, she finds herself envious of at least one aspect of marriage. But to experience the physical side of marriage, one doesn't need a husband, all one needs is the right man...
Nathaniel Jenkins knows his duty. Marry a young girl from a respectable family and father an heir, no matter how cold the endless parade of suitable girls leaves him. But a shocking proposal from a scholarly spinster leaves him wondering if unsuitable is just what he's looking for. Can he convince his spinster that marriage is the greatest experiment of all?


EXCERPT

Miss Olivia Blakesley watched as her youngest sister was married and thought, “That does it, old girl. You are officially on the shelf.”
Truthfully, she wasn’t quite yet. But at the ripe old age of seven and twenty, with two older sisters and three younger sisters all married, she was close enough. What man would want the sister who had been left behind? More importantly, why would she want the man who would want her?
She wouldn’t. So it was a good thing she had her studies and responsibilities. She was fairly certain she would have gone stark raving mad these last eight years waiting for a suitor who would never come if she hadn’t started studying the stars or helping her father with the accounts. Not exactly respectable activities for a gentle young woman, but she enjoyed them.

Her mother blamed those activities for her current matrimonial-less state. What woman would rather sneak outside to paint stars than flirt with a beau? What woman who was at least pretending she wanted to get married would wear those high-necked, front-buttoned, somber-colored old maid rags?
Olivia handed her mother, who sat sniffling in the pew beside her, a clean handkerchief.
“Thank you, Olivia. I can always count on your handkerchief to be dry at weddings, can’t I? I don’t understand how you can be so emotionless.”
“I’m not emotionless, and you should be grateful as you now have two handkerchiefs to drench.”
Olivia’s father winked at her as he patted his wife’s hand. “It’s not as if this wedding was a surprise, my dear.”
No, Eugenia had been promising that she would be snatched up the quickest since Prudence had taken nearly two years in the marriage mart. Eugenia had lasted a mere two months. The Blakesley sisters were nothing if not goal-oriented.
Olivia had her own goals and, unfortunately for her mother, they did not include catching a husband. Even so, she did not want to die inexperienced in love, estranged from her sisters because they knew something she didn’t.
Lust.
She did not want to die a virgin spinster aunt, caring for her aging parents.
It would be much better if she could die an experienced spinster aunt, caring for her aging parents.
She glanced at the cross hanging above the vicar’s head. Dear Lord, what was she considering? Was she really thinking of. . .
No. It was a sin. And she was in a church, for heaven’s sake.
But as her father was wont to say: In the course of life, some commandments must be broken. For emergencies. For science.
Thou shalt not kill. Definitely one to be broken in an emergency.
Thou shalt not worship any graven images. A few might say that Olivia worshiped her Dutch-made telescope. For science, of course.
Honor thy father and mother. She had never been any good at that one.
Thou shalt not commit adultery. . .
Well, she just wouldn’t choose a married man. This was, after all, a scientific emergency.
She was not going to die an old maid.
Olivia looked back at the altar. Her beautiful sister in her lace-trimmed ivory satin wedding gown beamed at her new husband, who looked down at her with obvious love and a little bit of panic. Olivia would never have that. She would never fall in love. Never have someone to depend on– only herself.
She nodded. So be it. If she could not have everything, she would have something. If she could not have love, she would have lust. She would find someone to teach her desire.
Amen.


About the Author:

Megan Bryce sits in front of a computer all day making up stories for a living. Which means she is not nearly as interesting (as well as tall, svelte, and/or dressed) as her characters. She gets bored quickly and just can't be bothered with anyone in her head who doesn't make her laugh-- which translates into fun books, outrageous situations, and witty characters who will leave you laughing and gasping for more.



BUY LINKS

Get your copy for FREE During the Blitz!



 photo readingaddictionbutton_zps58fd99d6.png

Megan Bryce - To Catch a Spinster (The Reluctant Bride Collection #1)



Ficha técnica: To Catch a Spinster
Autora: Megan Bryce
Editora self
Lançamento original: 2012
Lançamento BR: ainda não
105 páginas


"Olivia Blakesley, auto-proclamada solteirona, está muito feliz com sua vida. Ela tem os seus estudos e as suas funções, para que ela teria necessidade de um marido? Com cinco irmãs casadas, ela sabe que a realidade não faz jus à promessa, e não precisa  experimentar pessoalmente  para saber que ela não foi moldada para isso. 
No entanto, ela se encontra com inveja de pelo menos um aspecto do casamento. Mas para experimentar o lado físico do casamento, a pessoa não precisa de um marido, tudo que se precisa é do homem certo ... 

Nathaniel Jenkins sabe o seu dever. Casar com uma jovem de uma família respeitável e ser pai de um herdeiro, não importa quão frio o desfile interminável de meninas o deixa. Mas uma proposta chocante de uma solteirona acadêmica o leva a pensar se uma 'inadequada' não seria exatamente o que ele está procurando. Será que ele pode convencer sua solteirona de que o casamento é o maior experimento de todos?"

ROMANCE HISTÓRICO. INDIE. INÉDITO.

Os dois já tinham passado e muito da época de casar.
Olivia estava com 27 anos e Nathaniel, 39. As famílias de ambos estavam preocupadas e pressionando-os para encontrarem alguém e formarem família.

Acontece que para ele era um pouco mais fácil. Ele era apenas um cavalheiro, sem título, mas isso não o desabonava em nada. Ao contrário, muitas das mães casadouras faziam questão que suas filhas fossem lembradas por ele nas festas. Meninas jovens demais e tolas que em sua maioria só se preocupavam com moda e a próxima festa. Não é que Nathaniel fugisse do casamento; ele fugia das debutantes!

Já para Olivia, com idade avançada para ser considerada uma solteira ainda no páreo,  era um pouco mais complicado. Ela era uma das filhas do meio entre seis. Todas elas já casadas. Sua vida era dedicada ao estudo da astronomia e pintura. Sua vida era independente, mesmo ainda morando com os pais. E estes aceitavam o seu jeito de ser.
Mas ainda assim, sua mãe queria que ela também casasse e tivesse sua própria família.

Olívia se sentia bem sendo uma solteirona.
Na verdade, o termo "spinster" é um pouco mais profundo em relação a ser solteirona. Ele se refere àquela mulher que está muito além da idade para o matrimônio. O seu tempo passou há muito.
Mas ela estava bem consigo mesma. Vira suas irmãs casarem, terem filhos; vira seus pais passarem pela fase da briga e agora viviam na indiferença. Ela não queria isso para si. Não queria alguém que lhe ditasse regras e a proibisse de fazer o que gostava. O termo solteirona não a incomodava.

 O que a incomodava era a possibilidade de jamais ter experimentado o sexo.
Como era uma estudiosa e uma pessoa prática, teve a ideia de encontrar um cavalheiro que aceitasse cortejá-la - por pouco tempo - e levá-la para cama. A título didático, é claro.
Não poderia ser um famoso libertino, muito menos alguém indiscreto. Ela queria perder a virgindade, mas não colocar o nome da família na lama.
Foi quando num dos bailes ela topou com o Sr. Jenkis. Ele era alto na medida certa, bonito sem ser chamativo demais, educado, não tinha vício de jogo e era tremendamente discreto com suas amantes, já que ela nunca tinha ouvido falar em qualquer coisa que o desabonasse nesse assunto. Agora, ela só teria que fazer a proposta...

"- E sobre o que você gostaria de falar?
Srta. Blakesley limpou sua garganta e olhou sobre os ombros dele. 
- Eu lhe garanto que falo com seriedade. Só posso imaginar o que você irá pensar, mas...Eu gostaria que você me seduzisse.
Nathaniel tropeçou no próprio pé e perdeu um passo da dança. As bochechas dela ficaram rosadas. - Acho que valsar não foi uma boa ideia.
Ele estava quieto tentando pensar numa resposta adequada. Ela tinha realmente pedido a ele para seduzi-la?
Ela o encarou, suas bochechas muito rosadas, e ele chegou a conclusão que sim, ela tinha.
- Você está completamente maluca?"

Em seus anos sendo um solteirão desejado, Nathaniel nunca encontrara uma mulher que pedisse para ser desonrada. Como todo e qualquer cavalheiro, ele fugia das virgens; e simplesmente essa mulher com um vestido fora de moda e o cabelo preso à moda das mulheres que já passaram da idade de casar, chega até ele e faz um pedido daquele? Claro que ele iria recusar!
Por outro lado, a Srta. Blakesley parecia ser do tipo que não desistia fácil. E se não fosse ele, seria um outro qualquer. E quem sabe, um totalmente inadequado...
O desafio é aceito.

O único problema era que ele não esperava se apaixonar por aquela cabeça dura...e muito mesmo ter seu pedido de casamento rejeitado. E agora, como ele poderia 'pegar um solteirona'?



Uma história divertidíssima.
Um casal que tem tudo para dar errado e, exatamente por isso, um é perfeito para o outro.
Ambos têm ideias bem definidas no que querem em relação a um parceiro. No caso de Olivia, a ideia dela é tão fundamentada que ela tem certeza que nunca encontrará alguém à altura, por isso, ela desistira há muito tempo.
Nathaniel ainda tinha alguma esperança, e colocara apenas três exigências no que dizia respeito a o que ele queria para ser sua esposa.
Mesmo depois de Olivia ter passado por 8 temporadas, eles nunca haviam se encontrado.
Aquela temporada para ela seria a última porque ela decidira que não mais viria a Londres, preferindo ter sua vida no campo para estudar suas estrelas e fazer suas pinturas.

O ritmo da história é perfeito.
Desde a primeira página senti conexão com os personagens.
Ponto positivo: o livro é engraçado. A dinâmica familiar tanto dos Jenkis, quanto dos Blakeleys, é muito boa, com ótimos diálogos. O livro não é hot, mas tem umas cenas sexies, em especial na ocasião do primeiro encontro romântico deles.
A cena final, quando ela cai em si e vai atrás dele no parque, é impagável.
Ponto negativo: como não conheci este livro antes?

A autora é independente e seria maravilhoso se uma editora brasileira comprasse os direitos, já que estamos em plena expansão de lançamentos de romances históricos.

Para adquirir:  Amazon  |  Barnes & Noble  |  The Book Depository

O livro #2 já foi lançado:


5 ESTRELAS.

Sobre a autora:  Blog  |  Goodreads  |  Amazon

*Cópia do livro (kindle) foi cedida para participação do Blog Tour norte americano. Ebook encontra-se grátis no site Amazon até a data de postagem desta resenha.
**Gravura: Jon Paul Ferrara. www.jonpaulstudios.com