segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Tammy Luciano - Claro que te Amo!



Ficha técnica: Claro que te amo!
Autora: Tammy Luciano
Editora Novo Conceito
Lançamento: 2013
304 páginas


"Piera tem certeza: está cometendo a maior loucura da sua vida ao assistir, escondida, ao casamento de seu ex-noivo. Depois de seis anos de relacionamento, entrar de penetra na comemoração foi tudo que André deixou para ela. E olhar a cena não a faz feliz, mas encerra uma fase de sua vida. Hora de recomeçar. Mas como recomeçar se seu coração está cheio de dor? Envolver-se com a história de Piera é como descobrir que sempre há um lado muito bom a ser revelado… Mesmo que tudo pareça tão difícil."

ROMANCE CONTEMPORÂNEO. CHICK LIT. YOUNG-ADULT. LIT NACIONAL.


Quem esteve na Bienal do RJ este ano conheceu a simpatia que é a Tammy e como o stand da editora Novo Conceito estava recheado de seus autores nacionais. Muito legal de se ver.
A literatura nacional tem respirado novos ares e você encontra uma gama grande de novos autores sendo lançados por editoras grandes. Mais do que apenas trazer assuntos que considero deprimentes, porque parece que são só esses os correlacionados ao país (pobreza, favela, tráfico, escândalos, roubos a turistas, políticos corruptos, samba e futebol), os novos autores têm trazido temas mais atuais e suaves. E muitos deles engraçadíssimos e com um talento maravilhoso.

Tammy Luciano traz a história de Piera. Uma garota nos seus 19 anos, carioca, criada pelo pai desde bebê, com amigas unidas e maravilhosas, com uma boa situação econômica e ainda por cima, é bonita. Nasceu com a sorte grande, certo?

De certa forma sim, mas parece que Piera carrega um peso que às vezes nem ela parece perceber. Somente quando ela leva o fora do namorado - namoro este que durou 6 anos - é que tudo começa a acontecer ao mesmo tempo e as angústias não têm fim.

Do início... Piera parada, escondida em frente a uma igreja, esperando um casamento começar. Segundo ela, aquele casamento deveria ser o DELA, já que o noivo em questão fora seu namorado por 6 anos. Mas chegou um dia em que André olhou para ela e disse:

"Acho que não amo mais você. Volto de tarde."


E nunca mais voltou.

Como assim "volto de tarde"? Que maneira é essa de terminar um relacionamento de 6 anos???
Um ano se passou e ela ainda está presa à aquela maldita "tarde" que nunca chega, até que ele está se casando com outra, após apenas 1 ano de namoro. Finalmente a ficha de Piera cai.
Mas mesmo a ficha caindo, há todo o período de luto, e Piera se aferra a ele com tudo que tem. Torna-se apática, triste. E nem mesmo suas amigas animadas conseguem fazê-la sorrir.

E como desgraça pouca é refresco nos olhos dos outros, a mãe desaparecida de Piera resolveu dar às caras. Pior, ela estava internada numa clínica psiquiátrica.
E lá vai Piera conhecer a mãe que a abandonou ainda bebê.
O encontro foi tenso, mas teve um lado bom: Marcelo. O gato filho do dono da clínica. Vinte e um anos, formando-se em Medicina. E com a desculpa do reaparecimento de sua mãe, Piera e Marcelo começam a ter um tete-a-tete mais intenso. Quando tudo começa a ficar sério, Piera dá para trás. 
Por quê? Tudo veio à mente dela de uma só vez: o abandono de sua mãe, o abandono (e traição) de seu noivo. Na cabeça dela todas as pessoas que se tornavam importantes para ela, acabavam por abandoná-la. Então, nada mais justo e certo do que dessa vez ela ser quem abandonaria. Tendo o direito de escolha, o sofrimento seria menor. Certo? ERRADO!!!

Piera se sabota e não é uma vez só não, mas várias!!!! Argh!!! 
E aí você se pergunta: até quando um cara lindo como Marcelo vai ter a paciência para esperá-la?

Bom, tem muita água debaixo dessa ponte. A história tem várias passagens fofas e umas citações muito legais, como esta de uma das amigas de Piera:



Acompanhando a história dá até para fazer uma playlist com os sucessos comentados e ouvidos pelos personagens.

Minhas considerações:

A capa é linda. As páginas são decoradas com borboletas (na história há toda uma explanação sobre isso). A editora não poupou na diagramação e revisão. Um trabalho primoroso.
O enredo é interessante. Mostra as agruras que passa uma adolescente, tornando-se adulta, que precisa encarar vários momentos decisivos em sua vida.
Os personagens são muitos e cada um tem seu ponto forte. Não me senti conectada a Piera. Na verdade, em vários momentos queria bater nela por mostrar-se tão depressiva. As pessoas estavam ali querendo ajudar, apoiar, e ela afundando-se em auto-piedade. Por causa da idade, e até pelo fato de ela ter sido criada tão protegida, relevei em alguns momentos, mas em outros, não deu para segurar. 
O ritmo da história começa bom, mas numa parte do meio achei que ficou meio arrastado, para depois correr com o final. O final é lindinho, bem a  cara fofa da personagem.

Pelas redes sociais eu ouvi dizer que deu muito pano para manga (leia-se discussões) o fato da protagonista ser tão jovem para sofrer por um amor de tanto tempo. É bem verdade que a garotada hoje em dia começa a namorar cada vez mais cedo com toda essa erotização da mídia, mas na minha opinião, um namoro que começa aos 12 anos (idade dela) e dura por 6, com direito à aliança de noivado, e termina da maneira que terminou, achei um pouco demais. Até porque é dito que ANTES do seu namoro com André, ela tinha namorado mais dois meninos (??????)
A história toda é linda, mas se a protagonista fosse um pouquinho mais velha, se tudo tivesse acontecido um pouquinho mais a frente, eu teria me conectado melhor com tudo. Confesso que essa idade dela me perturbou muito desde o início. Mas não tiro o mérito de ser uma bonita história de amor.



Sobre a autora:


Website  |  Facebook  |  Twitter

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Lucy Vargas - Cartas do Passado




Ficha técnica: Cartas do Passado
Autora: Lucy Vargas
Editora self
Lançamento: PREVISÃO primeira quinzena de outubro/2013
Ebook (em torno de 285 páginas)


"Recém–formada, desempregada e com a conta zerada, Luiza recebe uma proposta de emprego em um castelo medieval nos confins da Inglaterra. Sem opção, ela parte de Londres com tudo que tem. O castelo vai virar um hotel e ela vai trabalhar justamente no museu arruinado dos Warrington. Tudo a sua volta grita abandono, até os antigos escritos do último dono do castelo chegarem às suas mãos e lhe contarem outra história.
O conde de Havenford foi um homem sofrido e solitário. Assassinado ainda jovem, seu povo foi abandonado e seu castelo destruído. Perdida entre o presente, o passado, a vida do conde e a sua, Luiza vai aprender que a história vai muito além dos livros. Mas antes que o fim seja escrito, ela vai precisar de muita coragem para salvar não apenas a vida do conde e de todos no castelo, mas a sua também."

ROMANCE CONTEMPORÂNEO-HISTÓRICO. PRÉ-LANÇAMENTO.


É sempre um prazer ler uma obra que acaba de sair do forno. Melhor ainda quando se tem a oportunidade de lê-la antes mesmo de chegar ao grande público. Mas isto também torna a responsabilidade de resenhar maior. Não há uma opinião prévia na qual você possa se basear. Você, e somente você, terá de ler, analisar, sentir e transformar em palavras tudo que ocorreu ao longo da leitura.
Posso dizer desde já que o prazer de fazer isto foi enorme...

Nossa história começa com uma heroína absurdamente normal. Luiza Campbell estava falida, sozinha e, pode-se dizer, uma quase recém formada precisando se firmar na carreira.
Ela fora indicada a este novo trabalho de digitalizadora e restauradora de documentos por um ex-professor da faculdade.
O local do trabalho era no Castelo de Havenford, situado numa pequena cidade no interior da Inglaterra. Sem ter qualquer outra opção, precisando de dinheiro com urgência e um local para morar, ela não pensa duas vezes em aceitar.

Ao chegar lá ela é apresentada a outras pessoas da equipe. Marcel, Affonso, Peggy, todos mostram-se muito agradáveis com ela; apenas Betty, a administradora, parece sempre acordar de mau humor e reclamar de tudo.
O trabalho era metódico e cansativo, mas ao mesmo tempo excitante por ela estar em contato com tantos documentos antigos.

O castelo parecia ter sido um local lindo em seus dias de glória. Apesar de estar por um processo de reforma, o mau estado dos pertences mostrava claramente que os herdeiros do local não estavam interessados em manter a história e o patrimônio da família, mas apenas em pilhar e obter o melhor lucro possível.

Em meio a tantos documentos e livros de contabilidade, Luiza teve contato com cartas pessoais escritas por um tal de Conde Jordan D. Warrington, do século XV. Ele mostrava-se ser um homem culto, que passava muito tempo escrevendo sobre absolutamente tudo que acontecia na propriedade e até mesmo em sua vida particular.
Tais cartas tiveram um fascínio sobre Luiza e em seu tempo livre ela não conseguia parar de lê-las e aprender mais sobre aquele homem corajoso, justo, mas terrivelmente solitário. Ao mesmo tempo, ela já catalogava as cartas para ajudar no trabalho de Marcel que, dentro da equipe, era o que mais conhecia a história do conde e seus familiares.

E assim os dias se passavam. De dia Luiza lia, digitalizava e catalogava todos os documentos que batiam em sua mão, sendo perseguida de perto pelas reclamações de Betty. À noite, ela se deixava encantar pelas palavras do homem que morrera tão jovem e que precisava tanto de uma palavra amiga, de uma mão estendida, de um afago, de um beijo... Que mulher não se sentiria mais do que honrada em poder conviver com aquele homem, ser sua companheira... Mas ele morrera séculos atrás e Luiza estava ali, em pleno século XXI, lendo suas confidências, seus segredos. Como explicar aquela conexão que ela sentia com ele tendo tantos anos de distância de um para o outro?

Foi quando uma quase tragédia muda um fato histórico a respeito do castelo. Uma tempestade abateu-se sobre a propriedade e um raio atingiu a janela da sala onde Luiza trabalhava, abrindo-a e fazendo com que todos os documentos que estavam ordenados sobre a mesa voassem pela sala. Os amigos vieram ajudar-lhe a catar o que estava espalhado, a fechar a janela e a acalmá-la. Nervosa com a possibilidade de ter perdido algum documento valioso, e ter de pagar por isso, Luiza prontamente ordena tudo em seu lugar encontrando cada um dos papéis. Mas ela também encontra mais um. Um papel que antes não estava lá. Uma carta. E esta carta era o início do impossível...





Acredito que somente com a sinopse e esta introdução você já tenha desconfiado que Luiza e o conde tenham uma conexão mais especial do que imaginado.
Sim, aquele papel que ela encontrou totalmente fora de contexto em relação aos outros já catalogados, era uma carta. Do conde. Endereçada a ela.



"Minha estimada lady,
Com todo respeito, não a conheço o suficiente para lhe enviar minhas anotações pessoais. Em todo caso, agradeço a preocupação..."



E assim eles começam a se corresponder. Ele em seu escritório no século XV e ela, em pleno século XXI.
As cartas diárias e num tom às vezes de brincadeira fizeram com que seus laços se estreitassem. Mas segundo a história real e documentada, o conde seria traído, seu castelo tomado e todos nele, assassinados. Haveria alguma forma de Luiza avisá-lo sobre isso através das cartas? Será que ajudá-lo nesse momento faria com que a história fosse alterada demais? Que mal faria ajudá-lo a salvar a vida de pessoas inocentes e não deixar que o castelo caísse nas mãos de ladrões - pelo menos àquela vez? 

E com isso foi uma carta, e mais outra, e mais outra, até que ambos estavam totalmente envolvidos um com o outro, e como nos tempos modernos em epoca de internet, o conde queria conhecê-la pessoalmente. Mas como isso se daria com a distância temporal? Ela não poderia dizer para ele que sabia tanto da vida dele porque estava no futuro. Desiludido, o conde decide afastar-se parando de escrever. Segundo a história, novas batalhas surgiriam, a vida do conde estava em perigo, Luiza não poderia ficar de braços cruzados sabendo que o pior poderia acontecer a ele. Talvez ela pudesse ajudá-lo... Se eles puderam se corresponder com séculos de distância talvez.... só talvez, ela pudesse fazer o impossível e dar um salto à sua felicidade...





Sim, entenda de uma vez por todas que Luiza e Jordan estavam destinados a encontrarem-se e o que temos aqui é uma das histórias de amor mais lindas já escrita.
Com determinação, Luiza - ou Elene de Montforth - encontra o conde e juntos reescrevem a história de Havenford.
Há batalhas, há traição, drama e muito, muito romance.
Quando finalmente Jordan Warrington encontra face a face a mulher que lhe escrevia as cartas, que povoava os seus sonhos, que lhe dava a força e o apoio para vencer os desafios à frente, ele não pensou duas vezes em fazê-la sua. 





O livro é da época medieval. E é claro que temos algumas cenas em que a heroína encontra-se totalmente perdida por não saber como as coisas funcionam. Afinal, ela é uma mulher da época do celular, da internet wi-fi, ou até mesmo das coisas hoje consideradas simples como um bom banho de chuveiro vindo da torneira. Nessa ocasião Elene é considerada uma lady excêntrica, com ideias à frente de seu tempo. Mas ela conquista a todos no castelo principalmente porque notam que ela seria aquela que faria o coração de seu senhor voltar a bater e fazê-lo sorrir.

Não é uma história com cenas para lá de hot, e nem esse é o objetivo do livro. Mas com certeza as cenas de conquista e de amor entre eles não deixa nada a dever a outros livros.
A descrição das cenas, do cenário, das batalhas e dos sentimentos dos personagens é muito bem feita; você se sente transportada aos acontecimentos.

O ritmo da história é o ideal. Cotidiano quando preciso, ou com saltos no tempo quando necessário.
Os personagens secundários também recebem destaque. Preste atenção em Marcel, Erin e Betia.

A autora soube explorar as cenas de maior impacto. Admito que por 3 vezes chorei muito ao longo da leitura...






... e uma vez fiquei extremamente apreensiva com o desenrolar de um acontecimento (o que me fez escrever para a autora a ameaçando de morte....eheheheh..Claro que foi brincadeira. Mas quando a ameacei não convidá-la mais aos eventos literários de nosso grupo, aí, sim ela ficou preocupada).
Numa época em que a mulher não dava sua opinião ou participava das decisões, há um bocado de ação ameaçando o relacionamento deles. Brigas, um tutor reivindicando a sobrinha de volta, casamentos arranjados, visita à côrte. 

As cenas mais impactantes: a primeira carta; o encontro dos dois; o pulo de Elene; a ameaça da partida dela; a despedida...

Luiza/Elene é uma heroína forte. A princípio sua personagem parece com qualquer garota sozinha no mundo, precisando de trabalho, amigos e algo em que se apoiar. Mas com o desenvolver da trama, você percebe o amadurecimento da personagem, as nuances de sua transformação.

Já Jordan é o herói encantado que encontra-se solitário e perdido, como se a vida tivesse decidido que não seria generosa com ele. Mas com a chegada de Elene, tudo se transforma. Uma nova chance é dada a ele e ele a agarra com unhas e dentes. Seu amor por Elene é descrito - e escrito -  em todas as oportunidades e juntos eles constroem um reino justo, próspero e de amor.

Prepare-se para as duas páginas finais. Depois de ler toda a história, estas duas páginas farão seu coração transbordar de emoção. E NÂO adianta lê-las antes porque o impacto não será o mesmo e, na verdade, você não entenderá o motivo de tamanha emoção.

Um livro com princípio, meio e fim. Sem essa de ser série ou trilogia, e deixar o leitor morrendo de ansiedade de quando sairá a continuação.

Para mim este livro é um VERDADEIRO BESTSELLER nos moldes de Julie Garwood e Judith McNaught.
Um livro que merece ser lançado por um GRANDE EDITORA na forma IMPRESSA porque merece ser lido uma vez após outra. E Jordan Devan Warrington, entrar para o rol dos mocinhos dos sonhos das leitoras. Então nada mais justo do que começar com uma campanha...




Com lançamento previsto para a primeira quinzena de outubro no site Amazon BR, deixe-se apaixonar pelo castelo dos contos de fadas, pela mocinha que não temeu em dar um salto para o seu destino, e pelo herói que marcou à pena a história de amor que tocará seu coração.





Sobre a autora:   Website


*ARC cedida diretamente pela autora.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Adrianne Lee - Delectable (Big Sky Pie #1)





Ficha técnica: Delectable (book #1)
Autora: Adrianne Lee
Editora Forever 
Lançamento original: setembro/2013
Lançamento BR: ainda não
260 páginas


O corretor de imóveis em Montana, Quint McCoy irá dizer-lhe que a coisa mais importante é a localização, localização, localização. É uma lição que ele aprende muito bem enquanto ele fica incomunicável por um período de quatro semanas numa viagem de pesca no Alasca. Enquanto ele está fora, sua mãe, Molly, transforma seu escritório na loja de tortas que ela sempre sonhou, Big Sky Pie. Mas essa não é a única surpresa para ele.

Em seu caminho para ir embora da cidade, Callee McCoy só quer dizer um adeus afeiçoado à sua amada sogra. Mas Molly logo convence Callee a ficar e dar uma mão para a nova loja, mesmo que isso signifique "botar fogo" na cozinha com o seu futuro-ex-marido. Assim que Callee e Quint redescobrem sua receita para o amor, eles percebem que alguns casais são tão pecaminosamente  bons juntos que um sabor delicioso nunca é suficiente..."


ROMANCE CONTEMPORÂNEO.



(English review scroll down)


Eu tenho que dizer, você não consegue ler este livro sem ficar com água na boca. Só de imaginar tudo que é mencionado, os ingredientes, a forma de fazer, a textura, a cremosidade... Ui! Dá vontade de largar tudo e correr para a cozinha para experimentar. E isso logo, logo irá entrar no repertório do blog Borboleta na Cozinha...




Mas voltando à história, o enredo trata-se de uma história de encontros e desencontros entre um casal, que passa por um período turbulento, e um deles não sabe como lidar com a situação.

Quint McCoy perde o pai abruptamente num ataque do coração. Como filho único, ele deveria ficar e dar o consolo que sua mãe merecia. Isso sem contar sua própria esposa que tinha o seu pai como o pai que ela nunca teve. Mas acontece que logo após o funeral ele surtou. E foi fazer o que sempre fazia quando queria se sentir melhor, pescar.
Só que esta pesca levou semanas. Ele deixou o seu escritório, a imobiliária, na mão de sua assistente, deixou a mãe em casa cuidando da própria dor e disse à esposa que se ela quisesse poderia entrar com o divórcio. Legal, né?

O caso é que certas pessoas realmente não têm a capacidade de lidar com situações de crise extrema e não tomar grandes decisões por saber que estas serão tomadas com os sentimentos errados. E foi exatamente o que Quint fez.
Passadas as semanas de pesca no Alasca, depois de colocar a cabeça no lugar, ele resolve voltar para casa e consertar todo o estrago que tinha feito.
Mas diferente dele, as mulheres de sua vida não ficaram paradas. Sua assistente arranjou outro trabalho, sua mãe estava para inaugurar uma loja de tortas e sua esposa realmente entrou com o divórcio. E para ser a "cereja do bolo" (tinha que aproveitar o trocadilho!), o seu local de trabalho agora era a loja de tortas.

E agora? Como desfazer toda essa confusão? 

E como desgraça pouca é besteira, sua mãe também sofre um quase fatal ataque do coração ao ouvir a conversa dos dois sobre o divórcio. Conclusão: sua mãe precisa fazer uma cirurgia super delicada e ele e sua quase ex-esposa, Callee, terão de seguir com o projeto de inauguração da loja de tortas.
Como era sua mãe quem cozinhava as próprias tortas - e ela tem um método único -, eles teriam de achar um novo confeiteiro para a loja em tempo hábil. 
E para completar a pressão, descobriram meio que por acaso que sua mãe havia se comprometido a participar de um evento dali a dois dias, com pelo menos 6 tipos diferentes de tortas.

Com toda essa confusão pairando sobre suas cabeças, e um divórcio ainda a ser concretizado, teriam Quint e Callee tempo, disposição e coragem de retomarem a química que existia entre eles?

O romance é leve e divertido. Uma confusão atrás da outra, o que poderia tornar tudo mais estressando, acaba sendo uma deliciosa história de amor.
Quint e Callee, na verdade, ainda se amam, mas não souberam lidar com toda a pressão sofrida tudo ao mesmo tempo. Desejos e sonhos foram mantidos em segredo; apesar de estarem juntos há dois anos, mais pareciam ora uma casal que acabava de se conhecer, ora um casal de idosos que não tem mais a fagulha da paixão. Mas estava ali, palpável... para os outros. Não para eles mesmos.

Assim que comecei  a ler, senti conexão Aquele vontade enorme de saber onde tudo ia dar.
O ritmo da história é bom, sem pressa.
Ponto positivo: O enredo tem como pano de fundo a loja de tortas, por isso, é claro, que iria ser falado sobre as mesmas. E por sorte, a famosa torta de Molly McCoy, mãe de Quint, tem sua receita revelada no final. Os personagens são envolventes, mesmo os secundários. E a solução final para todo o problema dos eventos em que a loja de tortas deveria participar, foi muito boa, já dando o gancho para o próximo livro.
E claro, nada mais sexy do que um homem que sabe cozinhar... em todos os sentidos...


Ponto negativo: eu realmente gostei muito dos personagens, e, apesar de os diálogos serem bons, achei que faltou uma pitada de comédia, quando a oportunidade para isso existia. E gostaria de ter visto mais a transformação de Quint  até ele cair em si o quanto tinha errado, e para tentar reconquistar Callee. Afinal, ele errou feio com as pessoas as quais ele deveria ter estado ali perto. Todos sofreram com a morte do pai dele, mas ele agiu como se o sofrimento fosse só dele. Não questiono a decisão final tomada por Callee, mas o processo de Quint para chegar lá.
Se quero ler os próximos livros? Com certeza. E já estou de olho sabendo que "Delicious", o livro #2, tem o lançamento programado para dezembro.

E após ele, mais dois virão: "Delightful" e "Decadent".

4,5 ESTRELAS

Como adquirir:  Amazon    

Sobre a autora:




Goodreads  |  Website  |  Facebook  |  Twitter


*ARC  cedido pela editora, atravé do NetGalley, em troca de uma resenha de opinião honesta.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

(English review)


This book  is about a couple that is going through a turbulent period , and one of them does not know how to handle the situation .

Quint McCoy lost his father suddenly to  a heart attack . As an only child , he should stay and give comfort to his mother. Not to mention his own wife who had his father as the father she never had. But what happens after the funeral? He freak out. And he went to do what he always did when he wanted to feel better: fishing.
Only this fishing took week . He left his office , a real estate, in the hands of his assistant , left the mother at home taking care of her own pain and told his wife that if she wanted to she could divorce him. Cool, right ?

The case is that some people really do not have the ability to deal with extreme situations crisis and not make big decisions knowing that these will be taken with the wrong feelings . And it was exactly what Quint did.
After weeks of fishing in Alaska, after putting his head togethe , he decides to return home and fix all the damage he had done.
But unlike him , the women in his life were not stopped. His assistant found another job, his mother was to inaugurate a pie shop and his wife actually filed for divorce . And to be the " icing on the cake " ( sorry about the joke! ) , his workplace was now the pie shop .

And now? How to undo this mess?

His mother also suffers a near fatal heart attack while listening to their conversation about divorce. Conclusion : his mother needs to make a super delicate surgery and he and his almost ex - wife, Callee , will have to go on with the inauguration of pie shop project .
As was his mother who cooked her own pies - and she has a unique method - they would have to find a new main chef to the pie shop soon .
And to complete the pressure, they knew quite by accident that his mother had committed to attend an event in two days, with at least 6 different types of pies .

With all this confusion hanging over their heads, and a divorce to be realized, would Quint and Callee have time, willingness and courage to regain the chemistry that existed between them ?

The novel is light and fun. A mess after another, which could make things more stressing, ends up being a delicious love story.
Quint and Callee actually still love each other, but they were unable to handle all the pressure off all at the same time. Wishes and dreams were kept secret, despite being together for two years, sometimes they look like an new couple who had just met, or an elderly couple who no longer has the spark of passion. But it was there , palpable ... for others. Not for themselves .

Once I started reading, I felt connection. That urge to know where everything was going.
The pace of the story is good.
Positive point : The plot has as its background the pie shop, so, of course, that would be talked about pies. And luckily, the famous Molly McCoy's, Quint's mother, pie recipe is there. The characters are engaging,  all of them. And the final solution to the whole problem of the events in the pie shop should attend, was very good, as giving the hook for the next book.
Of course, nothing sexier than a man who can cook ... in every way ...



Negative point : I really enjoyed the characters, and though the dialogues are good, I thought it lacked a bit of comedy, when the opportunity to do was there. And I would like to have seen more of Quint transformation before he realizes all the wrong he did, and to try to Callee back. After all, he missed people which he should have been nearby. Everybody suffered about his father death, but he acted as if suffering were his alone. I do not question the final decision taken by Callee , but the process to Quint get there.
If I want to read the next books ? For sure. 

4.5 STARS

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Os Autores de Atria - Simon & Schuster - Amam os Blogueiros

Recebi esta informação através de um blog amigo, Silver's Reviews, e achei interessante como nos Estados Unidos os blogueiros são valorizados pelas editoras e autores.

Este é um video de um evento feito pela ATRIA, da Simon & Schuster, especial e exclusivamente para blogueiros, com a presença e depoimento de diversas autoras.

Lá fora eles reconhecem o poder das resenhas.
Não que blogueiros sejam os todo-poderosos, mas sim são parceiros.
Eles recebem ARC - uma cópia de um livro em ebook para ser lido ANTES do lançamento do mesmo; livros para sorteios; participam de book tours, têm entrada gratuita em eventos grandes, como as premiações literárias mais badaladas do país.

Eu espero o dia em que aqui no Brasil a cultura da blogoesfera tenha esse mesmo prestígio....  Mas eu tive que pagar TODOS os ingressos para a bienal do Rio.... Preciso dizer mais?




PRÉ LANÇAMENTO: Lucy Vargas - CARTAS DO PASSADO




"Minha bela feiticeira da floresta, a mulher mais corajosa que conheci, mantenha as portas de nosso castelo fechadas. Guarde nosso maior tesouro. E saiba que estará escrito para sempre nas páginas da história o quanto eu a amei.

Jamais deixe que o brilho dos seus olhos se apague.

Para sempre seu,
J.D. Warrington."



E desta forma dá-se início ao romance de época escrito por Lucy Vargas.
Um pequeno prólogo. Algumas páginas a mais no primeiro capítulo.
Nelas, você começa a conhecer a nossa protagonista, Luiza Campbell, uma jovem formada há dois anos em Museologia, que estava sem recursos, e aceitou um trabalho num fim de mundo na Inglaterra porque pelo menos lá ela teria um teto onde dormir e comida. Ela trabalharia como digitalizadora e restauradora de documentos num antigo castelo, cheio de histórias, mas completamente abandonado pelos herdeiros.

Em meio a tantas caixas de documentos, livros de contabilidade, ela encontra algumas cartas pessoais de um dos antigos moradores do castelo. E mesmo tendo tanto trabalho pela frente, ela se sente fascinada por aquele homem culto, que adorava registrar tudo que acontecia à sua volta.

E são nessas cartas do passado que Luiza fará a viagem mais perigosa e surpreendente de sua vida...


Nessas 22 páginas disponibilizadas pela autora no site ISSUU, deixe-se render por um amor que pode sobreviver além do tempo.


Lucy Vargas é uma jovem escritora que está lançando seu segundo livro. O primeiro, "SEGUNDA CHANCE PARA AMAR", já foi resenhado por mim, e você pode conferir clicando no link abaixo:




Este novo livro, com lançamento marcado para o mês de outubro, com certeza será um sucesso maior ainda. As primeiras páginas já me deixaram encantada com a delicadeza e riqueza de detalhes com que ela descreve as cenas. Você se sente transportada para aquele castelo. E mais ainda com o final do primeiro capítulo. Garanto, é ARREPIANTE!!!!

Fico muito feliz com seu iminente sucesso e tenho o maior orgulho em dizer que somos companheiras de grupos de leituras, idas à bienal e bagunças mode on.





Mal posso esperar pelo lançamento.
Interessado(a)? Link abaixo.



segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Kristen Proby - Safe With Me (With Me in Seattle Series #5)



Ficha técnica: Safe With Me (With Me in Seattle #5)
Autora: Kristen Proby
Editora self
Lançamento original: setembro/2013
Lançamento BR: ainda não
298 páginas
(Apenas em ebook até o momento)


"Manter os outros protegidos é o que Caleb Montgomery faz de melhor. Ele nunca teve qualquer problema ao assumir uma tarefa, seja durante os perigosos dias como SEAL, ou o seu atual trabalho como treinador de mercenários de guerra. Mas ter pego a tarefa de manter Brynna e suas adoráveis filhas, Maddie e Josie, a salvo, fez Caleb sair de seu elemento. Atraído pela morena alta desde que ela chegou à cidade há mais de um ano, estar próximo a ela dia sim, dia não,  está quebrando a resistência dele de manter suas mãos longe dela e a cabeça focada em sua missão.

Brynna está enjoada e cansada de viver com medo. Tudo que ela quer é uma vida tranquila e normal para ela e suas duas filhas preciosas. Quqndo ela pensa finalmente ter se estabelecido em Seattle numa vida calma, Caleb aparece à sua porta insistindo em dizer que o perigo ainda ronda. Mas quer ela precise de proteção da ameaça em seu passado, ou das intensas emoções que ela sente pelo homem sexy e protetor que dorme em sua casa, tudo isso precisa ser revisto.  O que pode acontecer se Brynna e suas filhas caírem de amor por um homem tão cheio de conflitos internos que pode não ser capaz de protegê-las da ameaça iminente, muito menos de si mesmo?"


ROMANCE CONTEMPORÂNEO. LANÇAMENTO. ERÓTICO.


Desde que Brynna apareceu no livro #2 - Under the Mistletoe With Me - que a gente fica se perguntando o que de tão grave aconteceu em sua vida para ela aparecer de repente, com suas duas filhas, em Seattle, dirigindo no meio da neve, por quase uma semana, em plena época de natal... Algo de muito grave mesmo, pois, foi decidido entre Isaac, Matt (o policial) e Caleb (o SEAL) de que manteriam esse segredo da família por enquanto.

Um ano inteiro se passa e Brynna começa a sentir-se confortável em sua nova casa, com seu emprego na empresa de Isaac como secretária e com o convívio junto aos Montgomery, uma família numerosa e carinhosa. Ledo engano...
De repente, Matt e Caleb aparecem à sua porta e anunciam que ela ainda corre perigo e que eles se sentiriam mais tranquilos se ela tivesse a proteção de um deles.

Desde que chegara em Seattle e passara a conviver mais tempo com a família do marido de sua prima Stacey, os Montgomery, Brynna e Caleb sentiram uma conexão. Mas tudo ficou apenas nisso. Ela não se sentia preparada para entrar num relacionamento, e ele, ainda tinha dúvidas se poderia ter um.
Mas acabou que, pela necessidade, Caleb passou a morar na casa dela, a conviver com Brynna e suas filhas gêmeas de 6 anos, e daí, tudo começou a mudar...




Eles não puderam fugir à tamanha atração que sentiam um pelo outro. Para o resto da família eles "pensavam" estar mantendo bem as aparências. Mas quem disse que os Montgomery se deixam enganar?









Enquanto o romance crescia, e a família aprovava, não esqueçamos de que Brynna e suas filhas ainda corriam perigo. E finalmente o inimigo descobre onde elas estão vivendo e as caça. Agora dependia de Caleb manter as três pessoas que ele mais amava seguras do imimigo externo.
Mas havia um outro inimigo que não tinha hora para atacar e que poderia realmente colocar a vida delas em perigo: o próprio Caleb.

Caleb trabalhou por muitos anos como SEAL. Na guerra ele perdeu companheiros, viu coisas que poucos seres humanos conseguem ver e aguentar, e ele carregava culpa por aqueles que, segundo ele, não conseguiu proteger. Caleb sofre de Estresse Pós Traumático e isso faz com que ele tenha pesadelos vívidos, e numa dessas ocasiões ele quase matou Brynna, assustando as meninas terrivelmente.
Com medo de que novas passagens dessas ocorressem, ele se sente impotente de continuar o relacionamento e prefere partir para mantê-las seguras....dele.
Pensando ter eliminado o inimigo externo, ele vai embora, partindo o coração de Brynna e suas filhas que já estavam apegadas a ele. Mas ele não contava que algo mais pudesse acontecer; que pudesse perder para sempre o grande amor da sua vida para um inimigo que niguém derrota, a morte.

Gente, o que posso dizer? Eu simplesmente AMADORO esta série!!
Ela consegue manter a atenção do leitor  - pelo menos a minha - do começo ao fim.

Veja que não mencionei qual é o grande segredo que Brynna carrega ao chegar assustada em Seattle, mas isso é finalmente revelado logo nas primeiras páginas.
A saga é familiar. Portanto, apesar de no enredo sempre contar com algum drama ou suspense, o foco é no que acontece entre os Montgomery e os que convivem com eles.

Todos os personagens dos livros anteriores aparecem, e são nessas cenas que eu mais me diverto, de dar altas gargalhadas. Como quando os irmãos e suas esposas estão reunidos para jogar Dirty Minds (aquele jogo em que um participante lê em voz alta uma trívia cheia de duplo sentido, quando na verdade a resposta é algum objeto ou alimento simples), e você sabe, quando as mulheres estão reunidas o assunto sempre acaba em... Isso mesmo, ORGASMO. O que deixa Caleb subindo pelas paredes já que até esse momento ele está tentando manter as mãos longe de Bryn.
Ou ainda a cena em que apenas os homens da família Montgonery estão reunidos jogando poker.

Algumas cenas ocorrem concomitantes com outras ocorridas em livros anteriores, mostrando que os eventos ocorreram na mesma época.

Dos personagens masculinos - todos os Montgomery são lindos, com profundos olhos azuis, inclusive a irmã Jules -, o meu preferido ainda é Nate McKenna. Ele e Jules, para mim, ainda são o casal mais fofo da saga. E um feliz acontecimento aparece descrito aqui, e a cena é linda.

E por falar nos homens Montgomery... Bom, algo BOMBÁSTICO ocorre. E isso pode significar mais um livro para a série (MA-RA-VI-LIN-DOOOOOOO!!!!!).

Das cenas desta história, uma me deixou com o coração partido, assim como Brynna: foi quando Caleb convence-a de que ele precisa ir embora. O que ele fez me deixou primeiro...



E depois...



E claro, não podemos esquecer as muitas cenas HOT. E acredite, os homens dessa família sabem trabalhar...




Ou seja, tudo o que tem de melhor para tornar a história engraçada, interessante, com drama na medida certa, Kristen Proby consegue nos brindar.
E o final, sempre romântico e já dando gancho para o livro que se segue, trazendo a história de Matt (o policial que gosta de um sexo um pouco mais "apimentado") e Nic, a confeiteira.





De trilha sonora, não houve muitas menções de músicas dessa vez, mas já é o segundo livro em que vejo um casamento tendo como fundo na entrada da noiva, a música "At Last", de Etta James. Musicão, sem dúvida.
Mas prefiri colocar a música que seria a do novo casal a abrir a pista de dança... mas outra surpresa ocorre aqui....





NOTA: Fiquei sabendo que uma editora no BR já comprou os direitos de pelo menos o primeiro livro. Não sei dizer que editora é esta. Mas espero que, seja ela qual for, faça um trabalho à altura do que esta série merece, lembrando sempre que, por ser uma série em andamento, os leitores e fãs querem se sentir seguros de que terão do primeiro ao último livro lançado. Nada mais frustrante do que começar uma série e descobrir que a mesma foi cancelada...

*Ao som de "When the Stars Go Blue", com Tim McGraw.