domingo, 30 de setembro de 2012

Livros de Setembro



Coincidência ou não, o mês de setembro ficou marcado como o mês das séries. São tantas as sagas que estou acompanhando, e algumas editoras decidiram lançar seus volumes neste mês, que acabei completando ou adquirindo mais um volume das sagas abaixo:


Trilogia das Irmãs Keyes, de Susan Mallery - meu debut com esta escritora. Gostei bastante da série (a resenha vem na próxima postagem); ela tem um Q de Nora Roberts.



Saga da Herança, de Christopher Paolini - finalmente o último livro da série foi lançado.


A Série Os Cupidos, de Candace Camp - a vovó do Romance Histórico, como sempre, dá um banho de talento. Essa série (já resenhada) é maravilhosa, daquelas que a gente tem que ter em casa para ler de tempos em tempos.




Série A Mediadora, de Meg Cabot - uma série Young-Adult divertidíssima e que faz a mulherada suspirar por um certo fantasminha camarada.



Saga Dark Hunters, de Sherrilyn Kenyon (vol.2) - a história de Kyrian, amigo de Julian da Macedônia (volume anterior). Muita mitologia na cabeça.




Saga Cárpatos, de Christine Feehan - também o volume 2. História de Jacques, irmão do príncipe dos Cárpatos.

Sylvia Day - Casada com um Estranho



Ficha técnica: Casada com um Estranho (The Stranger I Married)
Autora: Sylvia Day
Editora Nova Cultural (extinta)
Lançamento original: 2007
Lançamento BR: 2008
200 páginas

"Inglaterra, 1815
Um amor imprevisível...
Isabel Pelham e Gerard Faulkner formam o casal mais escandaloso de Londres, combinam em todas as coisas - sensualidade, desejo intenso, bom humor, desprezo pelas convenções, atrevimento, e a recusa absoluta de se apaixonarem um pelo outro. Isabel fechou seu coração ao amor e, dos homens, só deseja companhia e prazer. O casamento entre ambos é um acordo dos mais agradáveis, até que uma chocante reviravolta leva Gerard para longe...
Quatro anos depois, ele está de volta. Mas o rapaz farrista e irresponsável foi substituído por um homem sério e charmoso, determinado a seduzir Isabel. O relacionamento descontraído transformou-se numa tentação irresistível, um marido que deseja Isabel de corpo e alma, e que não se deterá diante de nada para conquistar o amor da esposa. Não, aquele não é o homem com quem Isabel se casou mas... é o homem que finalmente poderá roubar seu coração..."


Meu debut na leitura de romance histórico desta escritora.
Se vocês lembram bem, ela anda na mídia por ser a autora da trilogia CROSSFIRE, do lindo, maravilhosos, tesudo Gideon Cross. 
Já havia lido várias resenhas - positivas - sobre seus livros históricos, e como sou uma fã ardorosa desse gênero, fui atrás.

Minha impressão foi boa, sem necessariamente ser aquele "uau". A história pega, você fica torcendo pelo mocinho ou mocinha da vez. Uma boa coisa: não é escrita em primeira pessoa (o que tem sido um costume meio irritante ultimamente).
A autora não se preocupa em relatar o momento histórico em que os protagonistas vivem e também não se perde em detalhes, algumas vezes frívolos. Ela vai direto para a história deles. O encontro, a fagulha, o problema, o dilema, o romance. Isso é bom quando você quer ler um livro rápido, sem ter compromisso. Mas quando você quer se deixar envolver pelo momento, isso pode arruinar tudo
Mas não me interpretem mal. O livro é bom. Tem várias partes engraçadas, outras em que você fica apreensiva esperando o desfecho.
Talvez este livro especificamente não tenha sido o mais famoso dela (precisarei ler outros para melhor me orientar).
De qualquer forma, nada que quebre o encanto ao ler a trilogia contemporânea over sexy.

Abaixo, uma outra capa (a mesma usada pela edição brasileira):


sábado, 29 de setembro de 2012

Candace Camp - A Dança da Corte (Os Cupidos #4)



"Quantas vezes um homem pode bancar o bobo por você?"
- Duque de Rochford (pág.357)

Ficha técnica: A Dança da Corte - Os Cupidos #4 (The Courtship Dance)
Autora: Candace Camp
Editora Harlequin
Lançamento original: 2009
Lançamento BR: 2012
410 páginas


Romance Histórico. Vol 4 da série Os Cupidos (ou As Casamenteiras)

"Lady Francesca desistira de encontrar o amor de sua vida, e já se dava por satisfeita em unir pares perfeitos. Portanto, agora, considerava mais do que justo se empenhar em apresentar uma noiva para Sinclair, o duque de Rochford, considerando que rompera seu noivado com ele no passado por ter sido ludibriada. Claro que Francesca estava certa de que não havia restado qualquer centelha de paixão entre eles. O modo como se tratavam era a prova disso. Mas o jeito com que Sinclair fixou o olhar nela, ou mesmo quando de repente a apanhou em seus braços... Bem, isto fora apenas um ensaio para quando uma jovem, mais adequada, chamasse sua atenção. No entanto, logo Francesca achou as lições de amor do duque mais do que irresistíveis, além de ser uma tentação que poderia pôr ambos em perigo."


Um mal entendido, na verdade uma verdadeira tramoia, fez com que Francesca pegasse Sinclair no flagra no passado e terminasse o noivado secreto que ambos tinham. Arrasada, ela se casara com outro homem, mas percebera o erro já na lua de mel.
Anos se passaram e agora viúva, Francesca tentava sobreviver como uma mulher independente. Não quisera voltar para a casa dos pais, apesar de ter herdado as dívidas do marido e estar fazendo das tripas coração para pagar as contas e alimentar-se.
Por isso, ao descobrir-se tão boa em arranjar casamentos para as moças da temporada que não tinham qualquer sex appeal para atrair pretendentes, ela passara a viver disso, recebendo em troca dos pais felizes, presentes, os quais ela os vendia para ter dinheiro.

No primeiro livro ela vencera uma aposta. No segundo, ela fora requisitada por uma velha amiga a arranjar uma noiva para o seu sobrinho-neto. No terceiro, ela fora acompanhante da irmã do próprio duque e a teve como acompanhante em sua casa. Desta vez Francesca está resoluta em arrumar uma esposa para o próprio duque, mesmo sem ele concordar a princípio.

O que ela não esperava era que nesse meio tempo um cataclisma cairia sobre sua cabeça. Uma velha dívida de seu marido estava sendo cobrada e ela perderia a única coisa que lhe restara desse casamento maldito, a casa. E agora Rochford teria que vir em seu auxílio.




Candace Camp sabe montar conflitos. Ao longo dessa série, vamos acompanhando o antigo romance entre Francesca e Sinclair, e é claro que todos esperávamos que o último livro fosse sobre os dois. Mas, mesmo após 15 anos, mesmo após toda mentira ter sido revelada, nada poderia ser fácil, e isso faz de seus livros os best sellers que são.
História encantadora. Não dá para ler uma vez só. Vale a pena guardar a coleção e lê-la de tempos em tempos.  

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Feliz Aniversário, Borboleta que Lê!!!



E mais um ano se passa.
Meses, semanas, dias, horas, minutos, segundos que não prestamos mais atenção, mas que podem nos fazer falta sobremaneira.

Muito desse tempo eu passei lendo.
Ao longo deste ano de 2012 já são quase 200 livros lidos. Nem todos bons, nem todos inesquecíveis, nem todos resenhados ou comentados, mas todos, de alguma forma, fizeram parte de minha vida. Pelo menos nenhum foi abandonado...

Quem me conhece sabe o quanto eu amo comprar e ganhar livros. Como eu os trato com carinho de mãe e quão ciumenta posso ser ao emprestá-los.

Desculpe se por acaso em algum aniversário seu eu acabei dando um livro de presente e você sorriu educado(a), mas não era exatamente "aquilo" que você queria...
Para mim livro é uma jóia rara, por isso acabo esquecendo que nem todo mundo tem o mesmo amor por eles que eu.

Bolo, balões, serpentina, bebidas e a sabedoria que só os livros trazem. Esta é a nossa comemoração.
Obrigada a você que me visita periodicamente, mesmo sem deixar seu comentário.
Obrigada por acompanhar minhas resenhas, minhas opiniões, meus surtos, minhas sugestões.

Um blog é feito de ideias. E elas só servem se forem compartilhadas.
Parabéns a nós leitores. E que venham mais anos e mais livros....




"Um livro aberto é um cérebro que fala;
Fechado, um amigo que espera;
Esquecido, uma alma que perdoa;
Destruído, um coração que chora."
-Voltaire






"Cada vez que um livro troca de mãos,
cada vez que alguém passa os olhos sob suas páginas,
seu espírito cresce e a pessoa se fortalece."
- Carlos Ruiz Zafón (A Sombra do Vento)




"Livros não mudam o mundo,
quem muda o mundo são as pessoas.
Os livros só mudam as pessoas."
-Mário Quintana



"O livro é um mudo que fala,
um surdo que responde,
um cego que guia,
um morto que vive."
-Antônio Vieira

Quote



"Sorria sempre que puder.
É o remédio mais barato."
- Lord Byron

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Christine Feehan - Desejo Sombrio (Cárpatos #2)



"Porque sem você, sou perigoso demais para o mundo.
Porque o que sinto por você está além de qualquer emoção humana,
até mesmo do amor."


Ficha técnica: Desejo Sombrio - Cárpatos #2 (Dark Desire)
Autora: Christine Feehan
Editora Universo dos Livros
Lançamento original: 2006
Lançamento BR: 2012
422 páginas


"Sete anos de escuridão, fome, desespero e solidão...
Jacques Dubrinsky, irmão do príncipe dos Cárpatos, foi capturado, cruelmente torturado e enterrado vivo. Durante sete anos, preso naquele buraco, alimentando-se do sangue de ratos, somente uma coisa o mantinha vivo: o desejo de vingança. Havia um traidor. E ele descobriria quem era.
O tempo já não significava mais nada. Ninguém sabia da sua existência. Até que ele sentiu a presença de uma mulher misteriosa e sensual em sua mente. Depois de tantos anos, um contato... Quem era ela? Seria ela a traidora?"


Seis anos após o lançamento do original, finalmente as fãs brasileiras têm a oportunidade de conhecer e dar continuidade à saga.
O primeiro livro, Príncipe Sombrio, foi bastante comentado. Muito ouvi a mulherada revoltada, falando mal pelo personagem, no caso Mikhail Dubrinsky, ser extremamente machista.
Como eu já conhecia a saga, virei uma espécie de defensora, por uma simples razão: o primeiro livro não explica completamente a dinâmica dos cárpatos.

Da mesma forma que as personagens femininas encontram-se perdidas com o comportamente dos machos, nós leitoras ficamos também. 
Somente a partir deste volume a gente consegue alcançar toda a problemática que os cárpatos, homens, sofrem.
Sim, eles são um tanto machistas, possessivos, cuidadosos ao extremo, mas o motivo deles é forte: não há mais mulheres da raça deles. E sem elas, eles não tem como reproduzirem-se e se salvarem da escuridão.

Mas antes que eu entre em alguns spoilers deste livro, deixe-me falar sobre esta história em si.
Como sempre a escritora é muito detalhista quanto às emoções dos personagens. Ambos os lados encontram-se num situação nova: as mulheres humanas, mas com alguma característica de dons especiais, são reivindicadas por homens enormes, fortes e poderosos para toda uma vida. Os cárpatos, geralmente com mais de 200 anos de existência e muito próximos a irem para a escuridão, finalmente encontram-se libertos da mesma quando encontram sua companheira de vida toda. A descrição de todo esse processo às vezes pode até parecer exagerada, mas é necessária. 

O personagem deste, Jacques, sofreu brutalmente nas mãos de humanos que o caçaram, a mando de um vampiro. Passou 7 anos encarcerado debaixo da terra, e não conseguia comunicar-se com os seus. Muito tempo após estar enterrado vivo, algemado e ainda com uma estaca cravada no peito (mas não no coração), ele começa a ter contato mental com uma garota, uma jovem estudante, que pensa que aquele homem misterioso e machucado em sua mente era apenas um délirio.
Vingança era o nome do que o mantinha vivo. Esta fome o corruía, fê-lo esquecer de seu passado e deu-lhe força para perseguir os seus algozes.

Shea tem o seu primeiro contato com Jacques ainda quando era estudante. Anos mais tarde, já uma médica consagrada, ela avança em sua pesquisa sobre a doença sanguínea e rara que ela mesma tinha. E foi assim que ela acabou indo parar nas montanhas Cárpatos. Atrás de lendas de vampiros e com uma voz sussurando-lhe um caminho...

Os livros - histórias - costumam ser longos e de um livro para o outro você consegue saber quem será o próximo personagem. Algumas de suas características, idade, coisas assim. Por isso é bom não se atentar somente no casal da vez.

As cenas românticas são apaixonantes porque aos poucos você vai se envolvendo com a relação deles. Mesmo parecendo um tanto brusco algumas vezes, mas é gostoso de ver como a simbiose ocorre. E as declarações de amor ditas por ele, é um caso de louco!
E lembrando, se você leu o primeiro livro, mas torceu o nariz para as partes machistas, a partir deste volume os homens em questão são bem mais maleáveis com suas mulheres. Antes eles só se uniam a mulheres cárpatos. Desde que precisam das mulheres humanas, eles passarão a rever seus conceitos sobre o papel delas.

"Você pertence a mim. Shea, somos duas metades do mesmo todo.
Você é a luz da minha escuridão.
Posse ser estranho ou até mesmo louco, mas meu coração
e minha alma sabem que não existo sem você."




**SPOILERS - CUIDADO**


Se você não se incomoda em ler spoilers, prossiga.
Tudo a ser dito a seguir você encontra neste exato livro, mas se não quiser descobrir antes de lê-lo, então pare agora.


Os Cárpatos são uma raça tremendamente antiga. Não, eles não são vampiros...ainda.
Durante os 200 primeiros anos eles são como qualquer ser humano, com a vantagem de serem imortais e terem uma força sobre humana.
Eles podem, por exemplo, regular a temperatura do próprio corpo para não sentirem frio. Não têm necessidade de se alimentarem com comida e, apesar de precisarem de sangue como alimento, eles não matam suas vítimas. Apenas as hipnotizam e tomam o sangue necessário, fazendo-as depois se esquecer de qualquer ataque.
Eles têm uma relação especial com a natureza, podendo controlá-la de acordo com a necessidade ou com seu humor (trovões e tempestades). Os animais sabem que eles podem ser predadores, mas não os temem. 
O sono deles é reparador quando é feito sob a terra - o sono humano normal não os descansa. E esta mesma terra tem características curativas para eles.
O poder deles também permite que tenham uma velocidade insuperável, virem névoa ou transmutem-se em animais (geralmente lobos, corujas ou roedores).

Após os 200 anos de idade, os machos perdem as emoções e a capacidade de ver as cores. Leva-se bastante tempo para enlouquecerem - o que vai depender da capacidade mental de cada um. São as mulheres que os salvam.
Cada cárpato tem uma companheira de vida, e apenas uma. Eles sabem exatamente quando a encontraram, pois, as cores da visão retornam.
Por alguma razão nos últimos anos as poucas mulheres cárpatos não conseguiam ter filhos do sexo feminino. E mesmo os bebês machos nem sempre vingavam, morrendo durante a gestação ou até o primeiro ano de vida (este mistério será esclarecido ao longo da saga).
Por causa da capacidade feminina de gerar filhos e por serem a sua salvação, os machos, ao encontrarem suas companheiras, são terrivelmente cuidadosos, possessivos e beligerantes. Por mais zangados que estejam, JAMAIS maltratam uma mulher, quer seja sua companheira ou não.

Se o tempo passar demais e não conseguirem encontrar sua companheira, daí sim eles podem sucumbir ao "lado negro" e acabarem virando vampiros. A partir daí ele deve ser caçado e destruído.

Por todas essas questões, ao encontrarem sua companheira, eles procuram sempre reafirmar a elas da sua importância. Então, ao longo de todo e qualquer livro deles, você encontrará declarações de amor como as acima citadas. Palavras que toda mulher gostaria de ouvir. 
Uma vez unidos, o casal não consegue viver separado por um período muito grande de tempo. Quando a separação é necessária, eles mantêm o elo mental.
E em todas as edições você encontrará as palavras da União mental, física e espititual.

"Você é minha companheira.
Eu a reivindico como sendo minha companheira. Eu pertenço a você. Ofereço-lhe minha vida. Concedo-lhe meu amparo, minha fidelidade, meu coração, minha alma e meu corpo E aceito as mesmas coisas vindas de você. Sua vida, sua felicidade e seu bem-estar são vitais para mim. Você é minha companheira, está unida a mim por toda a eternidade e estará para sempre sob os meus cuidados."

Lindo, não?

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Nora Roberts - Um Sonho de Vida (Trilogia do Sonho #2)


"- Você não é bonita - murmurou ele, numa declaração suave, que a levou a franzir o rosto - Por que parece bonita quando não é?
- Quanto vinho tomou, De Witt?
- Seu rosto é errado. - Como em busca de afirmação, ele contornou o balcão para examinar melhor. - É como se alguém tivesse juntado algumas partes sobressalentes de outras pessoas.
- Tudo isso é muito fascinante - disse Kate, impaciente - Mas...
- À primeira vista, seu corpo parece pertencer a um garoto adolescente, só braços e pernas.
- Muito obrigada, Mister Universo. Já acabou com sua crítica não solicitada à minha aparência?
- Quase. - Byron contraiu os lábios, enquanto passava a mão pelo queixo de Kate. - Adoro sua aparência. Não posso imaginar por que, mas adoro a maneira como você parece, a maneira como se movimenta... a maneira como cheira... adoro o seu gosto (...)" - pág. 212.








Ficha ténica: Um Sonho de Vida - Trilogia dos Sonho #2 (Holding the Dream)
Autora: Nora Roberts
Editora: Bertrand Brasil
Lançamento original: 1997
Lançamento BR: 2005
345 páginas

Romance Contemporâneo

" Kate Powell adora viver na Templeton House...e ama a família que a criou como filha. Embora careça da beleza de Margo e da elegância de Laura, Kate sabe que tem uma coisa que elas nunca possuirão - uma boa cabeça para os negócios. Impulsionada pela ambição, ela mede o sucesso de sua vida e cada promoção na careira. Mas agora, forçada a se confrontar com um fracasso profissional, Kate tem de olhar para o fundo de si mesma... apenas para descobrir que falta algo em sua vida... e em seu coração."

Kate pertencia mais à família Templeton, pelos laços de sangue, do que Margo. Ela era sobrinha do casal.
Ao perder os seus pais muito jovem num acidente de carro, ela fora criada como uma filha. Mas sempre tivera a sensação de que devia algo à família. Por isso ela esforçou-se mais do que qualquer um para mostrar o quão grata se sentia. Foi uma filha obediente, quieta, estudiosa. Destacou-se como atleta no baseball e nas notas, estudando contabilidade em Harvard.
Enquanto Margo ousara sonhar demais, Kate não tivera sonhos. Sua vida eram os números. O velho dois mais dois era a forma como ela media tudo em sua vida, organizando-se e subindo na carreira.
Ela recusou-se por privilégios, como ir trabalhar nas Empresas Templeton, preferindo galgar seu sucesso por si mesma.

Quando tudo parecia ir bem, algo errado ocorre no trabalho. E para completar, uma terrível história envolvendo seu pai é trazido à baila. Envergonhada, ela precisa recomeçar a planejar seu futuro.
E é exatamente nesse caminho diferente em que ela se depara com Byron De Witt. Ele era a fortaleza que Kate precisava para se amparar e seguir adiante.



Tive uma simpatia muito maior por Kate. Seu personagem é tão sofrido quanto o de Margo, mas ela toma uma atitude diferente, provavelmente mais sensata.
Ela sofre como qualquer garota sofreria após perder os pais, ter a vida modificada de forma tão radical, mesmo que a princípio a nova vida pareça muito melhor do que a antiga. Mas ao descobrir o passado sombrio de seu pai, sua pouca auto-confiança termina de ruir.
Por querer ser a filha perfeita, mesmo sabendo de suas limitações, ela deixa de sonhar.
Sim, o tesouro de Seraphina continuava sendo uma busca desde os tempos de menina, junto de suas amigas-irmãs, mas na vida prática se algo não pudesse ser esquematizado em números, não era interessante.
Com isso os sentimentos foram sufocados. Os homens que tivera no meio do caminho foram os errados  e no futuro só uma coisa importava: mostrar-se digna aos Templeton.

Mas como a vida sempre tem planos diferentes, ao ver-se desempregada e ainda acusada por algo que não cometera, ela passara a ter tempo para avaliar sua vida. E descobrira que muita coisa estava em falta.
E amparada pela família que amava e por um novo amigo, que parecia querer algo mais do que amizade, Kate reestrutura-se e descobre que adulto também pode sonhar...


*Ao som de "It's all Coming Back to me", de Céline Dion -  http://www.youtube.com/watch?v=pDxoj-tDDIU

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Nora Roberts - Um Sonho de Amor (Trilogia do Sonho #1)



Ficha técnica: Um Sonho de Amor - Trilogia do Sonho #1(Daring to Dream)
Autora: Nora Roberts
Editora Bertrand Brasil
Lançamento original: 1996
Lançamento BR: 2008
358 páginas

Romance Contemporâneo

"Laura, Margo e Kate cresceram como irmãs em meio à grandeza da deslumbrante Templeton House. Mas será Margo, a filha da rigorosa governanta irlandesa dos Templeton, quem primeiro partirá para uma jornada magnífica, cheia de riscos e recompensas, em busca de si própria - e de amor.
Embora tratada como um membro da família, Margo, bem no fundo, sempre soube que o dinheiro jamais poderia comprar o que mais desejava na vida: a aceitação da mãe. Talvez a situação pudesse ser diferente, se ela fosse como a doce Laura... ou tivesse a astúcia para negócios como Kate. Mas tudo o que Margo sabia fazer era ser Margo, o que significava fazer as coisas à sua maneira... não importava quais fossem as consequências."

Criadas como se fossem irmãs, com temperamentos e personalidades tão distintos, as três meninas tinham um sonho em comum: encontrarem o tesouro de Seraphina.
Esta antiga lenda permeia a história das três meninas sonhadoras, que, apesar de terem mais vantagens do que muitas outras, ainda buscavam a felicidade em outras paragens.

Margo, a filha de Ann Sullivan, uma viúva irlandesa que não se deu o direito de olhar para trás, sempre fora tratada como uma filha pelo casal Templeton. Os verdadeiros filhos do casal, Josh e Laura, tratavam-na como irmã. Laura sendo sua melhor amiga, e Josh, implicando com ela, como faria qualquer irmão mais velho.
Apesar de tudo isso, Margo buscava seu sonho. A princípio parecia ser o sonho de toda moça que cresce em meio ao luxo mas que não pertence ali. Ela queria conseguir tudo por si só. Ela ousou sonhar mais...
Tendo uma beleza estonteante, ela sabia que conseguiria vencer na carreira de modelo ou atriz, e assim, aos 18 anos, ela parte para a Europa atrás de seus sonhos.

O que Margo não contava era que sendo tão impulsiva, iria acabar se envolvendo num escândalo que poria tudo a perder, e ela teria que voltar para Templeton House sem nada.
O carinho e apoio da família a ajudariam a dar a volta por cima. E só então ela se daria conta de que  fama, dinheiro e prestígio não eram nada comparado ao lar. E de quebra, que os vários tipos de amor podem salvar uma alma que sangra.




Mais uma trilogia de arrepiar da tia Nora. Mas confesso que no início do livro 1 fiquei um tanto temerosa porque não senti afinidade com Margo.
Sua personalidade impulsiva, tempestuosa a fazia se comportar às vezes de maneira até vulgar, apesar de ela não o ser.
Ela desperdiça oportunidades e seu relacionamento com a mãe fica cada vez mais distante. É claro que da parte de Ann Sullivan também havia culpa. Seu jeito frio de tratar a filha, por conta do tanto que sofreu no passado, só fez com que as duas se distanciassem mais.

Depois de subir ao topo e ter uma queda tão vertiginosa quanto, Margo volta para casa e tem que encarar as fofocas, os medos, a vergonha e as consequências de suas escolhas.
Ainda assim ela teve a sorte de contar com algo mais do que sua família: o amor incondicional de Josh.

Para mim ele sim salvou o livro.
Rico, bonito, estudado (Direito em Harvard), ele tinha tudo para ser mais um playboy inconsequente, mas ele batalhou por seu lugar nas Empresas Templeton. E paciente, esperou que Margo voltasse para casa depois de se dar mal. Porque conhecendo-a como ele a conhecia, sabia que cedo ou tarde ela voltaria. O comportamento dele durante todo a história foi irrepreensível. Um verdadeiro príncipe encantado. Um príncipe que algumas vezes ela não merecia.

Nos cinco primeiros capítulos li mais por teimosia. A partir do 6° a história entrou no eixo e fluiu como só as histórias de Roberts sabe ser.


*Ao som de "Bleeding Love" de Leona Lewis - http://www.youtube.com/watch?v=qaGINCdtJjU

domingo, 23 de setembro de 2012

Candace Camp - Bodas de Desafios (Os Cupidos #3)



Ficha técnica: Bodas de Desafios - Os Cupidos #3 (The Wedding Challenge - The Matchmakers #3)
Autora: Candace Camp
Editora Harlequin
Lançamento original: 2008
Lançamento BR: 2012
414 páginas

Romance Histórico


"Lady Calandra deveria ter pretendentes batendo à sua porta. Mas seu irmão superprotetor, o duque de Rochford, conseguiu espantar todo cavalheiro adequado. Menos um: o misterioso conde de Bromwell.
Callie se vê atraída pelo enigmático nobre, apesar dos violentos protestos de seu irmão. Desafiando as ordens do duque, ela planejou ver Bromwell novamente, contando com o auxílio da casamenteira Francesca Haughston. Mas quando os segredos sombrios sobre o duque e o conde vêm à tona, talvez seja tarde demais para Callie perceber que caiu direto numa armadilha..."

Este é o livro mais grosso da série e, talvez, em alguns momentos, o com a história mais comum.
A irmã de um duque, belíssima, riquíssima, e por isso mesmo, atraindo mais os caça-fortunas, tem uma dificuldade maior em arranjar marido. E a presença do irmão, com sua cara de "duque" o tempo todo, também não ajuda.
Mas eis que surge um cavalheiro que não está nem aí para a cara feia do duque. Ao contrário, acredita que isso faça o duque ser atraído, porque eles têm negócios do passado mal resolvidos...

O legal de um livro (filme, novela...) é que, quando você vê alguém sendo injustiçado por uma fofoca - em especial uma mentirosa -, você consegue ver o desenrolar da trama e seu desfecho. Pena que a vida real não seja assim. E nem sempre a lei do karma trabalha com a rapidez que você gostaria...

Anyway, o romance se dá, mas os motivos que ele ocorre não são os melhores. Dá um certo trabalho ver tudo resolvido até que se chegue na parte boa.
Entretanto, apesar de este livro não ser O tal, ele é sine qua non para o desenrolar do último.
Este sim será aquele em que você prende a respiração aguardando um determinado evento. Inclusive já no livro 3, você tem um término que te deixa em suspense, o que faz o próximo ser muito mais rico.

Sim, esta série é maravilhosa.



*Gravura final de Jon Paul Ferrara.

sábado, 22 de setembro de 2012

Candace Camp - Conquista do Amor (Os Cupidos #2)



Ficha técnica: Conquista do Amor - Os Cupidos #2 (The Bridal Quest - The Matchmakers #2)
Autora: Candace Camp
Editora Harlequin
Lançamento original: 2008
Lançamento BR: 2010
316 páginas

Romance Histórico

"Lady Irene Wyngate jurou jamais se casar, e manteve os pretendentes a distância com sua língua ferina. Mas há um homem que ela não consegue assustar: Gideon, herdeiro do conde de Radbourne.
Sequestrado quando criança, ele cresceu nas ruas de Londres. Ainda que tivesse reencontrado a família, Gideon se sentia mais à vontade em mesas de jogo do que nos salões de baile da alta sociedade.
Quando Irene é considerada uma esposa em potencial para Gideon, ela declina a oferta prontamente, mas não consegue deixar de atender ao pedido de Francesca Haughston para transformar Gideon em um nobre civilizado o suficiente para atrair um bom casamento. À medida que Irene e Gideon se tornam próximos, ela cede pouco a pouco ao amor. Porém, terríveis segredos familiares vêm à tona... e suas consequências podem ser devastadoras..."


Segundo livro da série Os Cupidos, considero este o mais cheio de mistérios. O tal mistério envolvendo o passado de Gideon é realmente uma caixinha de surpresa. Quando alguém decide abrir o bico e contar sua versão da história, lá vem uma nova bomba a ser descoberta. E com isso a história te envolve, porque você fica aflita(o) querendo descobrir o X da questão.

O romance em si também é fofo.
A forma como eles se conheceram é bem atípica aos mocinhos e mocinhas românticos. Os dois, na verdade, passam boa parte do tempo brigando, porque ela era uma mulher cheia de opinião, totalmente avessa ao casamento e ao subjulgo da mulher nesta situação. E ele, apesar de a princípio não quere se casar, não acredita em casamento por amor.
Ao propô-la em casamento, como um negócio vantajoso aos dois, o horror dela é tão grande que ela nem para pra pensar que sua situação financeira melhoraria drasticamente. Afinal, ela passaria a ser uma condessa!

A mocinha, apesar de ter sido criada entre os nobres, tem um comportamento irreverente. O mocinho, por não ter sido criado entre os nobres, não sabe se comportar em algumas situações. Não dança bem e é um cavaleiro medíocre. Mas é nessa diferença que o encantamento acontece.

Vale notar, caso você ainda não tenha lido esta série, que ao passar dos livros, o desenrolar dos personagens se torna maduro. Principalmente sobre Francesca Haughston (no livro 4).
E dos 4, este aqui é meu preferido, mas claro que a culminação dos eventos no último livro torna esta série uma das mais belas de Candace Camp.
#SouTotalFã.



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Mulheres Brigando por Personagens de Livros? | As envenenadas pela maçã






Opinião cada um tem a sua.
Livros, há aos montes por aí, cada um de um tipo, gênero, grossura...
Personagens literários, há os fofos, os trogloditas, os amorosos, os rebeldes, os sérios, os pegadores, os mortais e imortais. Graças a Deus eles são de papel e todas as leitoras podem lê-los, tê-los e amá-los, certo? ERRADO!!!

Há pessoas por aí comportando-se pior do que criança, fazendo barraco, terminando amizades, deletando das redes sociais, tudo porque alguém OUSOU falar mal de seu personagem favorito, ou, de dizer que também gosta dele.

Não sei quanto a vocês, mas acho isso ridículo e de uma pobreza de espírito medonha.

Qunado resolvi criar este meu blog foi muito mais por uma realização pessoal.
Conheço meus limites como crítica literária ou como escritora. Comento e posto sobre os livros e tipos de que gosto, não os que estão na moda. Se o livro que gostei e comentei está na moda, ótimo. Se não, dane-se. Há muito mais por aí do que pode ser explicado pela vã filosofia...

Exatamente por isso estou compartilhando o texto da Renata neste outro blog amigo, As Envenenadas pela Maçã. Ela fala sobre esse absurdo que está acontecendo no meio literário, essas picuinhas entre pessoas que devem ter um sério problema mental ou uma falta tamanha de uma vida social (e quando falo vida social não me refiro aos inúmeros encontros literários dos quais essas pessoas fazem parte. Refiro-me ao bom e velho popular: falta uma boa trepada!!!). Desculpem o termo, mas o bicho por aí está feio mesmo.

Bom, leiam o texto abaixo, deem sua opinião nos comentários, na página do blog no Facebook...


As envenenadas pela maçã: Doce Veneno #2: Meu, teu, nosso... É de todo mundo...: Bom dia, envenenados! Antes de começar o tema dessa semana, quero agradecer o carinho e a atenção de vocês à Doce Veneno . *-* Fiquei ...

Phyllis Halldorson - O Segredo de Anne



Ficha técnica: O Segredo de Anne (To Start Again)
Autora: Phyllis Halldorson
Editora Nova Cultural (extinta)
Lançamento original: 1981
Lançamento BR: 1984
200 páginas

"Um acidente de carro uma troca de bolsas e a vida de Anne mudou completamente: a moça pobre e solitária tomou o lugar da rica e bela viúva de um milionário, Ângela Hawthorne. Enganar a família do "marido" foi fácil; difícil foi enfrentar o ódio e a amargura de seu cunhado, o atraente Matthew Hawthorne.
Matthew julgava-a egoísta e gananciosa, acusava-a de ter infernizado a vida do irmão, e mesmo assim a procurava cada vez mais, atormentado por sentimentos conflitantes e um desejo cada vez mais forte de possuí-la. E Anne desejava muito entregar-lhe seu corpo virginal, conhecer os mistérios do amor, mas não podia fazer isso, pois seu segredo seria imediatamente descoberto."


Sabe um daqueles livros que alguém de repente comenta, você fica curiosa e pensa "e por que não?" e resolve lê-lo? Pois é, foi este o caso.
Ao deparar-me com ele, tão fininho para os padrões que estou acostumada, sabia que iria lê-lo rápido.
Qual foi minha surpresa ao achar tudo uma graça!!!
Não conhecia a autora, e mais uma vez fiquei espantada quando achei sua foto num site - oh my God! O que está havendo com essas vovós? Estão me colocando no chinelo! LOL.
Não espere uma trama muito elaborada. É sim um livro água com açúcar com final feliz, mas, ainda assim, você se pega torcendo pelos protagonistas.
O livro é velho. E mesmo na edição em inglês está fora de estoque. A editora brasileira que o lançou nem existe mais, mas talvez você o encontre numa edição em ebook ;)

Anne está para lá de enrolada em sua vida e aproveita uma chance de ouro para fugir da vidinha miserável e, de quebra, ganhou um cunhado sexy. Enrola-se um pouco com a situação, mas claro, como é uma pessoa do bem, tenta livrar-se de tudo magoando o mínimo as pessoas envolvidas. Nem preciso dizer que com isso, a cada dia, fica mais enrolada.
Matthew está entre a cruz e a caldeirinha em relação à nova cunhada. Uma pistoleira de marca maior, que aprontou todas com seu irmão caçula, e agora aparece bancando a santa. Claro que ele teria de dar-lhe uma lição.
E assim os dois caminham...

Está sem nada para ler? Quer dar um tempo naquelas leituras que exigem muita concentração? Tenta este aqui. É um passatempo gostoso que pode te surpreender.

a autora

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Candace Camp - Aposta no Amor (Os Cupidos #1)



Ficha técnica: Aposta no Amor - Os Cupidos #1 (The Marriage Wager - The Matchmakers)
Autora: Candace Camp
Editora Harlequin
Lançamento original: 2007
Lançamento BR: 2010
315 páginas 


"Sem dote e já não mais no desabrochar da juventude,, a srta. Constance Woodley perguntava-se por que um dos luminares da sociedade de Londres se interessara por alguém como ela. Mas com a ajuda de sua benfeitora, ela foi transformada em uma donzela cativante, o que chamou a atenção de Dominic, o lord Leighton, um homem bonito e charmoso, mas que evitava o casamento a todo custo.
Diante do olhar chocado de toda a sociedade, uma desconhecida e um rebelde mostrariam que, mesmo no cruel mercado do casamento, quando o amor está em jogo todas as apostas estão encerradas..."


Vamos combinar, casamento para esse povo da época da regência era um negócio de louco. Caso de vida e morte. As moças que passassem dos 20 anos sem sequer terem um noivo podiam começar a se sentirem solteironas, do tipo que usa aquelas toucas deprimentes, chamadas bonnet.



Mas a personagem deste livro teve a "sorte" de ver-se envolvida numa aposta entre lady Francesca e o duque de Rochford.
A princípio ela participava da temporada em Londres apenas como acompanhante de suas duas primas mais jovens, em idade de debutar, mas graças à ação do destino, ela teve a chance de transformar-se de um patinho feio a um cisne.
O que ninguém contava era que logo quem iria se interessar por ela seria o irmão de lady Francesca. E ele precisava de um casamento prático, ou seja, dinheiro.

O enredo pode ser o mais velho e conhecido por nós, em matéria de romance histórico. Até porque ele é mesmo focado na caça a um casamento vantajoso para pelo menos um dos lados. Ainda assim, Candace Camp consegue levar a história com um encantamento só dela. E ainda me surpreendo cada vez que leio um novo livro dela.
Isso sem contar que além de nos fascinar com personagens tão bem descritos, as cenas românticas são um encanto a parte.

A série Matchmakers, ou Os Cupidos, é composta por quatro livros, sendo este o primeiro. E boa parte dos personagens reaparece nos livros seguintes.
As capas são as mesmas do original em inglês, e tenho quase a certeza de que foram feitas por Jon Paul Ferrara, um fotógrafo maravilhoso, muito conhecido no meio literário como elaborador/fotógrafo de capas inesquecíveis. Qualquer dia volto a falar no trabalho dele.


Livro para se ler sem pestanejar.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Nora Roberts - O Natal dos Quinn | Conto



Publicado original e exclusivamente pela Waldenbrooks Report, este conto traz o primeiro natal de Seth junto aos irmãos Quinn.
Pequeno e cativante, para quem conhece a trilogia - ou além disso, o quarto volume -, a emoção é certa ao lê-lo.
Não encontrei qualquer livro que o trouxesse como um anexo, mas ele está disponível  no site da autora em:



Abaixo, um  pequeno trecho:

He'd never had Christmas before. Not a real one with a tree and lights, with presents. Not with family. He'd never had one in a house filled with music and the smell of fresh cookies and decorations hanging everywhere.
Of course, he wasn't a kid or anything. Sheesh, he was in sixth grade. It wasn't like he believed some fat guy in a red suit was going to pop down the chimney. Get real.
He was just getting into the whole business because everybody else was making such a production of it. All that whispering and talking in code and giggling. Well, the guys didn't giggle, Seth corrected, but the women had let out a few. And little Aubrey was practically insane waiting for tomorrow morning.
But she was just a baby. Christmas was supposed to be special for kids.
For himself it was cool to be out of school and to figure a few presents were going to be tossed his way. He wasn't a maniac about it.
He was only sneaking downstairs to scarf up some cookies. How was a guy supposed to sleep when there were a million cookies in the house?